Motoristas de João Pessoa anunciam greve a partir de segunda-feira

Paraíba

Pelo menos 221 mil usuários de transportes públicos em João Pessoa poderão começar a semana sem ônibus.  A próxima segunda-feira (10) foi a data anunciada pelo sindicato dos motoristas e cobradores, nesta quarta-feira (05), para início de uma greve. A categoria e  sindicato patronal ainda não entraram em acordo em relação ao reajuste. Os motoristas reivindicam aumento de 7% e melhores condições de trabalho e os donos das empresas oferecem 4%.
Já aconteceram duas mesas redondas na justiça do Trabalho, sem acordo. O presidente do sindicato, Antônio de Pádua, disse a categoria já realizou duas assembleias para discutir sobre o movimento. Ele criticou os empresários, que estariam dando sinais de que não pretendem reajustar os salários com o percentual reivindicado. Na primeira reunião a diferença foi descomunal. Enquanto os trabalhadores pediram 12%, os empresários ofereceram 1%. Na segunda reunião a diferença diminui.
A partir da meia noite da próxima segunda-feira, motoristas e cobradores estarão no Parque da Lagoa Solon de Lucena, no Centro da capital, para fazer mobilizações. Contudo, Antônio de Pádua ressaltou que até lá, a categoria continua aberta a negociações com os empresários. “Estamos esperando uma nova proposta, não queremos prejudicar a população. O momento é difícil tanto para os trabalhadores quanto para população”, finalizou.
Salário Ainda de acordo com o presidente do Sindicato, o salário do motorista de ônibus na Paraíba é de R$ 2 mil registrado na Carteira de Trabalho e mais R$ 440 de ticket alimentação. Além disso, os motoristas que também são cobradores recebem o referente a 2% do apurado mensal do veículo que dirigem, que deve ser no mínimo R$ 357. Com isso, alguns profissionais podem chegar a receber até R$ 2.797.
Nota
Em nota, o Sindicato das Empresas de Transporte Coletivo Urbano de João Pessoa (Sintur-JP) alegou que as negociações com os trabalhadores ainda não foram encerradas e que uma nova reunião deve ser realizada na próxima terça-feira. A entidade repudiou ainda a decisão dos trabalhadores em cruzar os braços antes do novo encontro.
Redação com Correio da Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.