João Pessoa pode ter voo charter vindo da Holanda

Paraíba

Após conquistar o primeiro voo internacional, entre João Pessoa e Buenos Aires, o Aeroporto Presidente Castro Pinto, na Região Metropolitana de João Pessoa, deve ganhar o primeiro voo vindo da Europa. Nesta sexta-feira (07), o prefeito da capital, Luciano Cartaxo, deu início ao processo de negociação com a Go Brasil, operadora holandesa que introduziu um voo charter para Natal (RN) por 11 anos, para viabilizar a operação de um voo charter de Amsterdã para João Pessoa, com uma escala na lha do Sal.
Durante a reunião, coordenada pelo responsável de projetos especiais e promoção internacional da Secretaria de Turismo de João Pessoa, Saulo Barreto, os executivos Ati van der Molen e Cristine Weber, representante da Go Brasil no Brasil, apresentaram uma análise das possibilidades de operacionalidade de um voo vindo da Holanda para a capital paraibana. O prefeito deixou o encontro bastante entusiasmado e, caso todos os acertos sejam cumpridos, o voo deve começar a ser operado em abril do próximo ano.
O voo já deve ser lançado na Holanda em janeiro de 2018, durante a Vacantieboeus – Feira de Turismo de Utrecht, um dos maiores eventos de Turismo da Europa. De acordo com Saulo Barreto, a prefeitura, por meio da Secretaria de Turismo, já deu início ao desenvolvimento de um plano de mídia que não se limitará à Holanda. A divulgação será expandida para a França, Bélgica e Alemanha.
De acordo com Saulo Barreto, a operação é extremamente viável, pois o equipamento a ser operado pela Tui – uma empresa subsidiária da KLM e que só opera voos chaters – é um Boeing 737-800, com capacidade para 160 passageiros, sem qualquer tipo de restrições para pousar no Castro Pinto. Há sete anos a limitação da pista frustrou a tentativa da Paraíba de trazer esse voo para o Estado.
“A reunião de hoje (sexta-feira) foi para apresentar o projeto ao prefeito Luciano Cartaxo, bem como ter a adesão da prefeitura, que foi totalmente aceita.  Agora é correr, porque um voo desse requer muitos detalhes . O público europeu é mais sofisticado que o latino e mais rentável também.”
A presidente da ABIH (Associação Brasileira da Indústria Hoteleira, seccional Paraíba), Manuelina Hardman, disse que a expectativa para a concretização desse novo voo é muito grande e que será preciso um trabalho muito forte de divulgação do Destino Paraíba nesse mercado, em especial. No entanto, a empresária revelou que sentiu que o prefeito ficou muito empolgado com a possibilidade do voo, o que já seria um bom sinal de que há realmente como viabilizar a operação.

Estiveram presentes na reunião, além dos executivos Go Brasil, o secretário de Turismo, Fernando Milanez; as presidentes da ABIH (Associação Brasileira da Indústria Hoteleira, seccional Paraíba), Manuelina Hardman; da Abrasel (Associação Brasileira de Bares Restaurantes de Similares, na Paraíba), Neide Lisboa; e o superintendente da Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), Roberto Germano Sousa.
Fábio Cardoso

0 thoughts on “João Pessoa pode ter voo charter vindo da Holanda

  1. “De acordo com Saulo Barreto, a operação é extremamente viável, pois o equipamento a ser operado pela Tui – uma empresa subsidiária da KLM e que só opera voos chaters – é um Boeing 737-800, com capacidade para 160 passageiros, sem qualquer tipo de restrições para pousar no Castro Pinto. Há sete anos a limitação da pista frustrou a tentativa da Paraíba de trazer esse voo para o Estado.”
    Que mentira, a Gol utiliza este mesmo modelo de aeronave em João Pessoa há anos. Tão querendo esconder o 7 x 1 do Governo do Estado na Prefeitura de João Pessoa, com o voo para Argentina.
    Lembraram que este é um voo charter, ou seja, o brasileiro não pode comprar a passagem. De novo, 7 x 1 do Governo do Estado na Prefeitura de João Pessoa, pois o voo da Argentina é regular, e tem passagens para os brasileiros.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.