Destinos de ecoturismo mais procurados na Paraíba

Paraíba

Ilhas, formações rochosas, lajedos e parques são alguns dos lugares à espera de visitantes aventureiros em busca de paisagens para explorar na Paraíba, em sua maioria, em bom estado de preservação. O Portal Correio, com a ajuda da coordenadora de Turismo do Sebrae-PB, Regina Amorim, preparou uma lista com os destinos mais procurados pelos turistas para o ecoturismo no estado.
Além da beleza, é importante ressaltar os cuidados que devem ser tomados pelos visitantes para que a preservação da natureza seja mantida. A bióloga Maria Neide Moura Martins de Andrade, Educadora Ambiental do Parque Zoobotânico Arruda Câmera, em João Pessoa, frisou que é imprescindível se educar ambientalmente ao visitar esses locais. “Todos têm que ter a mesma oportunidade de visitar futuramente esses lugares, por isso que é preciso manter a preservação, sempre removendo todas as evidências de que alguém passou por ali. É preciso apagar todas as marcas deixadas, tudo que possa descaracterizar aquele local, todo tipo de lixo”.
Maria Neide ainda orientou os turistas a não levarem nada dos locais. “É preciso resistir à tentação de levar algo pra casa, como pedras, conchas, flores, etc. Para que outras pessoas possam apreciar, é preciso que continue ali. Apreciar sim, levar não. Se for levar algo, que seja a lembrança. Se for deixar, que deixe a pegada; pegada limpa”, finalizou.
Ilha da Restinga
Localizada no estuário do Rio Paraíba do Norte, com uma área de 540 hectares, a Ilha da Restinga é uma das grandes surpresas para os que visitam e moram na Grande João Pessoa. O local oferece trilhas que atravessam a vegetação, passa por lagoas e mangues e proporciona ao aventureiro mais atento uma interessante e inesquecível aula de biologia em meio a um dos mais preservados recantos do estado.
No local só se chega de barco, que sai da Marina Big Toy, situada na praia do Jacaré. Sob agendamento e grupo mínimo de 15 pessoas, é possível almoçar na Ilha, escolhendo um cardápio regional que vai da carne de sol aos frutos do mar.

Parque Estadual Pedra da Boca
Localizado ao norte do município paraibano de Araruna, o Parque Estadual da Pedra da Boca encanta e surpreende seus visitantes com as formações rochosas curiosas do seu território. O local é ideal para quem gosta de rapel e de escalada, além de possuir um cenário exótico. O parque foi criado em 2000 e ajuda a preservar a caatinga paraibana.

Travessia dos Matacões
Localizado na Área de Proteção Ambiental (APA) do Cariri, no trekking Travessia dos Matacões, o visitante descobre todas as maravilhas da região, conhecendo pontos que somente com as próprias pernas é possível chegar. Nas trilhas os turistas poderão observar pinturas rupestres e alguns vestígios deixados há milhares de anos pelos antigos povos da região, que fará os visitantes se sentirem na pré-história. Esses e muitos outros destinos ligados ao ecoturismo possibilitam ao turista a oportunidade ímpar de entrar em contato com a natureza, por meio de trilhas em meio ao verde e ambientes preservados.

Lajedo do Pai Mateus
Um grande terreno rochoso com enormes pedras está localizado na cidade de Cabaceiras, Paraíba, a 180km de João Pessoa. O local recebeu o nome de ‘Lajedo do Pai Mateus’ por causa da história de um suposto curandeiro que teria se instalado no local no século 18, atendendo a pessoas, fazendo rezas e outros rituais em troca de comida e morando entre as pedras.
No Lajedo Pai Mateus, os visitantes, segundo Regina, poderão ter uma experiência única de cenário, energia, beleza e contemplação, além de oferecer aos visitantes trilhas por sítios arqueológicos.
O local serviu de cenário para alguns sucessos do cinema brasileiro, como ‘O Auto da Compadecida’, por isso, quem passa na entrada da cidade de Cabaceiras pode observar o letreiro ‘Roliúde Nordestina’, numa clara alusão ao famoso letreiro de Hollywood.

Lajedo do Marinho
Situado em Boqueirão, no Cariri paraibano a 146 km da Capital, o Lajedo do Marinho tem toda a beleza rara do bioma da caatinga. O local é totalmente adaptado para receber os visitantes de forma rural e criativa, com um camping sob o lajedo, aluguel de barracas, energia elétrica, wifi e segurança; possui fogão à lenha e banheiro ecológico. O turista chega ao local subindo por um caminho de pedras.
As crocheteiras do Lajedo do Marinho são responsáveis pelo colorido do cenário com as peças de vestuário e acessórios, bem como peças de cama, mesa e banho, expostas à venda. “O grupo ficará no coração dos turistas para sempre, pois a história de superação, transformação e empreendedorismo, através do artesanato, é um exemplo de vida”, comentou Regina Amorim.

APA do Rio Mamanguape
A APA do Rio Mamanguape, localizada em Rio Tinto, a 52 km da Capital, é o habitat do peixe boi marinho. No rio, o mamífero, que corre risco de extinção, é observado com relativa facilidade. A região é a principal área de concentração da espécie marinha no Nordeste.
A área abrange três comunidades: Praia de Campina, Lagoa da Praia e Barra de Mamanguape, com uma população predominante de pescadores e trabalhadores rurais. São manguezais, lagunas, lagoas, praias com cordões de dunas, falésias, mata de restinga e de tabuleiro e uma peculiar barreira de coral em frente à foz do Rio Mamanguape.
“Antes de iniciar seu passeio, é importante verificar a tábua da maré e se organizar, pois uma das mais lindas e diferenciadas ofertas deste local são os passeios de barco ao peixe-boi, ao manguezal, as piscinas naturais e aos recifes de corais que dividem o mar do rio, onde você pode ver tartarugas que emergem para respirar enquanto se alimentam”, comentou Regina.
Os turistas mais aventureiros podem desfrutar do mergulho na barreira de corais, trilhas e passeios de canoa.
Itacoatiaras do Ingá
No oeste da Paraíba, a 46 km de Campina Grande e a 109 km de João Pessoa, localiza-se o primeiro monumento arqueológico tombado como patrimônio nacional em 1944: a pedra do Ingá. Identificado pelos arqueólogos como ‘itaquatiara’, o que em tupi-guarani significa ‘pedra pintada’, o bloco rochoso possui desenhos esculpidos em baixo relevo que aguçam o imaginário dos místicos e despertam a curiosidade até dos mais céticos.

 
Mata do Pau Ferro
O Parque Estadual Mata do Pau Ferro é uma reserva ecológica situada na comunidade Chã do Jardim, a 9 km da cidade de Areia, no Brejo Paraibano.
As atividades realizadas pelo Parque Estadual Mata do Pau-Ferro são desenvolvidas pela comunidade Chã de Jardim, com realização de trilhas, piquenique na mata, artesanato e feirinha de orgânicos. A comunidade desenvolve o turismo rural e tem nele sua base local, sustentada pela indústria de uma polpa de frutas e pelas atividades de ecoturismo realizadas no Parque com grupos de visitantes e turistas de todo o Brasil.
Isis Vilarim – Portal Correio da Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Destinos de ecoturismo mais procurados na Paraíba

Paraíba

Ilhas, formações rochosas, lajedos e parques são alguns dos lugares à espera de visitantes aventureiros em busca de paisagens para explorar na Paraíba, em sua maioria, em bom estado de preservação. O Portal Correio, com a ajuda da coordenadora de Turismo do Sebrae-PB, Regina Amorim, preparou uma lista com os destinos mais procurados pelos turistas para o ecoturismo no estado.
Além da beleza, é importante ressaltar os cuidados que devem ser tomados pelos visitantes para que a preservação da natureza seja mantida. A bióloga Maria Neide Moura Martins de Andrade, Educadora Ambiental do Parque Zoobotânico Arruda Câmera, em João Pessoa, frisou que é imprescindível se educar ambientalmente ao visitar esses locais. “Todos têm que ter a mesma oportunidade de visitar futuramente esses lugares, por isso que é preciso manter a preservação, sempre removendo todas as evidências de que alguém passou por ali. É preciso apagar todas as marcas deixadas, tudo que possa descaracterizar aquele local, todo tipo de lixo”.
Maria Neide ainda orientou os turistas a não levarem nada dos locais. “É preciso resistir à tentação de levar algo pra casa, como pedras, conchas, flores, etc. Para que outras pessoas possam apreciar, é preciso que continue ali. Apreciar sim, levar não. Se for levar algo, que seja a lembrança. Se for deixar, que deixe a pegada; pegada limpa”, finalizou.
Ilha da Restinga
Localizada no estuário do Rio Paraíba do Norte, com uma área de 540 hectares, a Ilha da Restinga é uma das grandes surpresas para os que visitam e moram na Grande João Pessoa. O local oferece trilhas que atravessam a vegetação, passa por lagoas e mangues e proporciona ao aventureiro mais atento uma interessante e inesquecível aula de biologia em meio a um dos mais preservados recantos do estado.
No local só se chega de barco, que sai da Marina Big Toy, situada na praia do Jacaré. Sob agendamento e grupo mínimo de 15 pessoas, é possível almoçar na Ilha, escolhendo um cardápio regional que vai da carne de sol aos frutos do mar.

Parque Estadual Pedra da Boca
Localizado ao norte do município paraibano de Araruna, o Parque Estadual da Pedra da Boca encanta e surpreende seus visitantes com as formações rochosas curiosas do seu território. O local é ideal para quem gosta de rapel e de escalada, além de possuir um cenário exótico. O parque foi criado em 2000 e ajuda a preservar a caatinga paraibana.

Travessia dos Matacões
Localizado na Área de Proteção Ambiental (APA) do Cariri, no trekking Travessia dos Matacões, o visitante descobre todas as maravilhas da região, conhecendo pontos que somente com as próprias pernas é possível chegar. Nas trilhas os turistas poderão observar pinturas rupestres e alguns vestígios deixados há milhares de anos pelos antigos povos da região, que fará os visitantes se sentirem na pré-história. Esses e muitos outros destinos ligados ao ecoturismo possibilitam ao turista a oportunidade ímpar de entrar em contato com a natureza, por meio de trilhas em meio ao verde e ambientes preservados.

Lajedo do Pai Mateus
Um grande terreno rochoso com enormes pedras está localizado na cidade de Cabaceiras, Paraíba, a 180km de João Pessoa. O local recebeu o nome de ‘Lajedo do Pai Mateus’ por causa da história de um suposto curandeiro que teria se instalado no local no século 18, atendendo a pessoas, fazendo rezas e outros rituais em troca de comida e morando entre as pedras.
No Lajedo Pai Mateus, os visitantes, segundo Regina, poderão ter uma experiência única de cenário, energia, beleza e contemplação, além de oferecer aos visitantes trilhas por sítios arqueológicos.
O local serviu de cenário para alguns sucessos do cinema brasileiro, como ‘O Auto da Compadecida’, por isso, quem passa na entrada da cidade de Cabaceiras pode observar o letreiro ‘Roliúde Nordestina’, numa clara alusão ao famoso letreiro de Hollywood.

Lajedo do Marinho
Situado em Boqueirão, no Cariri paraibano a 146 km da Capital, o Lajedo do Marinho tem toda a beleza rara do bioma da caatinga. O local é totalmente adaptado para receber os visitantes de forma rural e criativa, com um camping sob o lajedo, aluguel de barracas, energia elétrica, wifi e segurança; possui fogão à lenha e banheiro ecológico. O turista chega ao local subindo por um caminho de pedras.
As crocheteiras do Lajedo do Marinho são responsáveis pelo colorido do cenário com as peças de vestuário e acessórios, bem como peças de cama, mesa e banho, expostas à venda. “O grupo ficará no coração dos turistas para sempre, pois a história de superação, transformação e empreendedorismo, através do artesanato, é um exemplo de vida”, comentou Regina Amorim.

APA do Rio Mamanguape
A APA do Rio Mamanguape, localizada em Rio Tinto, a 52 km da Capital, é o habitat do peixe boi marinho. No rio, o mamífero, que corre risco de extinção, é observado com relativa facilidade. A região é a principal área de concentração da espécie marinha no Nordeste.
A área abrange três comunidades: Praia de Campina, Lagoa da Praia e Barra de Mamanguape, com uma população predominante de pescadores e trabalhadores rurais. São manguezais, lagunas, lagoas, praias com cordões de dunas, falésias, mata de restinga e de tabuleiro e uma peculiar barreira de coral em frente à foz do Rio Mamanguape.
“Antes de iniciar seu passeio, é importante verificar a tábua da maré e se organizar, pois uma das mais lindas e diferenciadas ofertas deste local são os passeios de barco ao peixe-boi, ao manguezal, as piscinas naturais e aos recifes de corais que dividem o mar do rio, onde você pode ver tartarugas que emergem para respirar enquanto se alimentam”, comentou Regina.
Os turistas mais aventureiros podem desfrutar do mergulho na barreira de corais, trilhas e passeios de canoa.
Itacoatiaras do Ingá
No oeste da Paraíba, a 46 km de Campina Grande e a 109 km de João Pessoa, localiza-se o primeiro monumento arqueológico tombado como patrimônio nacional em 1944: a pedra do Ingá. Identificado pelos arqueólogos como ‘itaquatiara’, o que em tupi-guarani significa ‘pedra pintada’, o bloco rochoso possui desenhos esculpidos em baixo relevo que aguçam o imaginário dos místicos e despertam a curiosidade até dos mais céticos.

 
Mata do Pau Ferro
O Parque Estadual Mata do Pau Ferro é uma reserva ecológica situada na comunidade Chã do Jardim, a 9 km da cidade de Areia, no Brejo Paraibano.
As atividades realizadas pelo Parque Estadual Mata do Pau-Ferro são desenvolvidas pela comunidade Chã de Jardim, com realização de trilhas, piquenique na mata, artesanato e feirinha de orgânicos. A comunidade desenvolve o turismo rural e tem nele sua base local, sustentada pela indústria de uma polpa de frutas e pelas atividades de ecoturismo realizadas no Parque com grupos de visitantes e turistas de todo o Brasil.
Isis Vilarim – Portal Correio da Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.