Comissão irá rastrear esgotos para despoluir praias da Paraíba

Paraíba
Anúncios

Órgãos ambientais e entidades ligadas ao Turismo da Paraíba vão intensificar ações para combater os esgotos clandestinos, principalmente em João Pessoa. Entre as medidas que deverão ser tomadas estão a fiscalização nas obras de prédios no entorno da orla marítima; vistorias nas galerias pluviais, para fazer um mapeamento das áreas onde há maior incidência de poluição; e buscar meios de aumentar o valor das multas aplicadas aos infratores.
Nesta sexta-feira (18), os representantes dos órgãos públicos e o trade turístico se reuniram na Câmara Empresarial do Turismo, no Centro de Turismo e Lazer do Sesc, para discutir as medidas que possam identificar os problemas e buscar reduzir o número de praias poluídas e interditadas todos os finais de semana no litoral paraibano. Das 56 praias paraibanas, nove estão impróprias para o banho, conforme relatório divulgado nesta sexta-feira (18) pela Sudema (Superintendência de Administração do Meio Ambiente).
Na próxima quarta-feira, haverá uma nova reunião para fechar um calendário de atividades. Técnicos da Secretaria de Meio Ambiente da prefeitura de João Pessoa, da Sudema e da Cagepa ficarão responsáveis por fazer um rastreamento na rede de esgotos da cidade em busca de esgotos clandestinos. Toda a rede deve ser aberta e fotografada no sentido de se fazer um diagnóstico da situação.
Além das entidades envolvidas nas ações, o empresário José William, representante da Fiep (Federação das Indústrias da Paraíba), disse que iria manter contato com o sindicato da construção civil de João Pessoa para aderir a esse trabalho. Segundo ele, que também é do setor, as construtoras são alertadas sobre as áreas onde estão sendo realizadas as obras, no atendimento às leis ambientais. “Temos feito um trabalho de conscientização nesse sentido”, enfatizou.
De acordo com a coordenadora da Câmara Empresarial, Manuelina Hardman, a poluição nas praias, além de causar risco à saúde das pessoas, prejudica a imagem da capital paraibana, e, de tabela, a atividade turística. A empresária disse que é necessário agir rápido, pois a temporada de verão está chegando e, caso nada seja feito, certamente causará danos à atividade turística.
O presidente da Abav (Associação Brasileira das Agências de Viagens, seccional Paraíba), Bruno Mesquita, disse que a poluição “contamina” todo o turismo, pois a cada turista que é impedido de utilizar as praias, a informação faz com que muitos evitem colocar a cidade em seu roteiro de férias. Mesquita é favorável a aumentar o valor de multa de quem fora esgoto clandestino na rede, que atualmente chega a R$ 3 mil e até interdição do imóvel ou estabelecimento comercial.
Ruth Avelino, presidente da PBTur (Empresa Paraibana de Turismo), reconheceu que o poder público tem buscado fazer a sua parte, e que é necessária uma ação de conscientização mais forte junto à sociedade. “São as pessoas que poluem as praias”, denunciou a executiva. Ela revelou que, ontem, coletou cinco sacos de lixo no trecho onde anda todas as manhãs, na praia do Bessa.
Trechos impróprios para o banho:
João Pessoa: Paraia do Bessa I, no trecho que fica 100 metros à direita e 100 metros à esquerda do maceió da praia do Bessa. Na praia de Manaíra, está impróprio ao banho o trecho que 100 metros à direita e 100 metros à esquerda da galeria defronte à quadra de Manaíra. Na praia da Penha, não se deve tomar banho 100 metros à direita e 100 metros à esquerda da desembocadura do Rio do Cabelo, enquanto na praia do Sol a autarquia recomenda evitar o banho em toda sua extensão.
Cabedelo: Praia do Jacaré está imprópria no trecho que fica à esquerda do estuário do rio Paraíba; e a praia de Miramar, no trecho de 100 metros à direita e à esquerda da galeria de águas pluviais.
Pitimbu: Praia do Maceió no trecho que fica 100 metros à direita e à esquerda da desembocadura do Riacho do Engenho Velho; e na praia de Pitimbu, a Sudema recomenda não tomar banho no trecho que fica nas proximidades do final da Rua da Paz. Já na praia de Acaú/Pontinha, é bom evitar o banho no Rio Goiana. A Sudema ainda recomenda aos banhistas que evitem os trechos de praias localizados em áreas frontais a desembocaduras de galerias de águas pluviais, principalmente se houver indício de escoamento recente.
Fábio Cardoso

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.