Mercado de turismo online cresce 73% em 4 anos

Brasil
Anúncios

O mercado de turismo online atingiu R$30 bilhões em 2016, alta de 73% desde 2012, crescimento médio de 15% ao ano. É o que aponta o relatório Webshoppers 36, divulgado na última semana pela Ebit, empresa referência em informações sobre o comércio eletrônico brasileiro. A pesquisa, realizada em colaboração com a Expedia.com.br, site local de uma das maiores agências de viagens online do mundo, entrevistou 5535 pessoas através de um formulário online entre os dias 1 e 28 de junho de 2017, a fim de traçar o perfil do consumo de turismo online no Brasil.
Para a mensuração desse mercado e a realização da pesquisa, a Ebit e a Expedia® consideraram experiência em compras de passagens aéreas, reservas de hotéis, pacotes turísticos e outros serviços relacionados à uma Online Travel Agency (OTA).
Principais motivos de viagens:
51,7% para férias
19,5% para sair da rotina
13,4% em viagens a trabalho
Ao total, 51,3% dos entrevistados utilizaram avião e mais de 86% declararam não ter viajado a trabalho. As porcentagens continuam sobre a ordem do processo online para reservar uma viagem, sendo que 17% dos consumidores definem primeiro o destino, seguido por 13,8% pesquisam voos, 13,3% pesquisam hotéis e 12% compara preços de voos e hotéis.
Um dado interessante, também revelado pelo Webshoppers 36, é que o mobile não é preferência em planejamento de viagens, uma vez que 60% dos consumidores utilizam desktop frente a apenas 15% que utilizam smartphones. As tarefas mais realizadas via celular ou tablet são 24% pesquisa de hotéis e definição de roteiro e 23% para definir destino. Esse comportamento, porém, tende a mudar.
“O relatório nos traz a perspectiva que os consumidores estão usando diferentes plataformas, como smartphones e tablets, para planejar suas viagens – desde comparação de preços a fechar reservas. Esta é uma tendência que se espera evoluir com o avanço da tecnologia e com a disseminação do uso de dispositivos móveis, que ganham cada vez mais status de principal computador pessoal”, afirmou Pedro Guasti, CEO da Ebit.
Segundo os entrevistados, os fatores apontados como mais relevantes para a escolha de um hotel foram “segurança”, “fácil acesso a transporte”, “pre­ço da estadia” e “localização”, com mais de 20% da preferên­cia em todos os quesitos. Além disso, os viajantes declaram que costumam economizar em “entretenimento”, “troca de carro” e “troca de celular” para viabilizar suas viagens.
Ketchum

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.