A Inteligência das Viagens e dos Destinos Turísticos

Regina Amorim

Os turistas atualmente são muito mais conectados, mais informados e, portanto, mais exigentes, têm pensamentos críticos e buscam novas formas de viajar. As mudanças em seus desejos devem ser identificadas e avaliadas. Os turistas buscam melhor relação custo benefício, melhor preço, facilidades domésticas, facilidade para acomodar a família.
Na hotelaria os produtos voltados para família, como suítes amplas e alguns utensílios básicos de cozinha, é uma tendência e um dos grandes diferenciais dos serviços de aluguéis de temporada.
A experiência de viagem nos destinos turísticos exige a melhoria contínua na forma de pensar globalmente e agir localmente, adequando-se a uma economia global em rápida transformação. A geração millennials é a geração de hóspedes que desejam um serviço básico de qualidade, com sustentabilidade, bom atendimento e o uso inteligente dos recursos disponíveis.
O uso de dados em tempo real, para a tomada de decisões em tempo real, permite compreender o que é mais importante para os negócios de um destino turístico.
A inteligência dos dados e as estratégias de marketing de destinos são a base para os municípios ou regiões turísticas alcançar, de forma eficaz, os resultados desejados, ou seja, o aumento das receitas geradas pelo turismo.

Os destinos turísticos se diferenciam através das estratégias de marketing. Uma delas é a criação de uma marca do destino, que fortaleça a promoção da identidade cultural, que desenvolva o orgulho, a confiança e o respeito, da comunidade. Criar paixão na população!!!
Os destinos turísticos e os negócios também precisam estar “se reinventando todos os dias”. Entretanto, é preciso promover a cultura da preservação. Turismo é muito mais que imagem e sim a satisfação dos visitantes. Fazer as pessoas felizes!!! Os recursos não são infinitos, mas agimos como se fossem…
É preciso equilíbrio entre sustentabilidade e condição humana. O novo perfil do turista não acredita em publicidade, acredita na opinião das pessoas, busca experiência, consciência ecológica, mais viagens no ano para lugares próximos.
Segundo Daniel Burrus, autor do livro Techno Trends, “a tecnologia será responsável por personalizar todas as nossas experiências de viagem, criar roteiros com base em nossas preferências específicas e servir como guia turístico, contando histórias e mencionando temas que sabe ser do nosso interesse”. Aprendi que o mundo é digital e a promoção é analógica. Quem está falando de nós? O que estão falando de nós?

Empresários dos destinos turísticos precisam atuar em redes e estar nas redes sociais, no universo mobile, geração head down, millennials ,home-office, startups, concorrentes, portanto buscar informações através do marketing digital e estudar é preciso!
A Organização de Marketing de Destinos (DMO’s) têm a capacidade de apoiar o sucesso do seu negócio. Isso significa que elas estão equipadas para melhorar a eficácia das campanhas promocionais, focando nos mercados-alvo, visando garantir o maior impacto. As DMO’s também tomam medidas preventivas para promover alternativas a uma cidade ou região.
Sugiro que as regiões turísticas paraibanas busquem dentre as suas prioridades, os serviços deempresas especializadas, para melhorcompreender o comportamento do cliente, conquistar e fidelizar clientes, otimizar os resultados, gerenciar riscos e possibilitar a inovação. Como exemplo citoa empresa AMADEUS, plataforma que avança no mundo da big data e que traz resultados em tempo real.
Regina Medeiros Amorim
Mestre em Visão Territorial e Sustentável do Desenvolvimento,
Pós-graduada em Gestão e Marketing do Turismo,
Gestora de Turismo do SEBRAE – Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.