O Mito dos trocadilhos fala sobre ‘Grandes Comentários da Internet’

Elizabeth Espinola
Anúncios

Levante a primeira “curtida” quem nunca riu com os famosos trocadilhos de Francisco José Espínola, mais conhecido no mundo virtual como Francisco José Mito. Depois de ter ficado popular comentando com trocadilhos hilariantes notícias nos comentários dos sites, em ligações aparentemente impossíveis, ele lançou este ano o livro Grandes Comentários da Internet, que pode ser comprado diretamente por meio de suas páginas no Facebook e Instagram. De férias em João Pessoa, o comentarista conversou com o CORREIO em parceria com o Turismo em Foco.
O livro aborda a trajetória de Francisco, que atualmente conta com mais de 700 mil seguidores em suas redes sociais, e também trata do processo criativo que o fez tão famoso na internet. “É uma história interessante porque sou engenheiro, ou seja, da área de exatas, e cheguei a publicar um livro de humor. Isso é bem raro”, comentou. Espínola trabalha com engenharia de computação, porém, chama a atenção o fato de ser um estudioso da Filosofia.
“Faço meus comentários com base num exercício para tornar a mente mais criativa. Tento encontrar pontes entre ideias diferentes. Por exemplo, saiu uma notícia sobre um astronauta que cometeu um crime no espaço e como deverá ser o julgamento. Isso leva a nossa mente a um conjunto de ideias sobre direito e juridicidade que são comuns a todos. No entanto, tento pensar em algo que aparentemente não tenha nada a ver com esse conjunto de ideias, mas, que no fim das contas, tenha. A descarga emocional de descobrir um elo entre duas ideias que não têm nada a ver entre si é humorístico”, explicou.
‘Haters gonna hate’. Para Espínola, o humor é uma válvula de escape diante de uma vida que já é preenchida por bastante sofrimento e tristeza. “Minha filosofia é que, embora a vida seja sofrimento, é melhor é tentar aproveitar e encará-la com leveza. Daqui a pouco, vamos morrer mesmo. Quero que as pessoas que leiam não se sintam mal”, afirmou. No entanto, nem todos gostam ou até mesmo compreendem os comentários.
“Quase 95% das reações são positivas, mas tem uma porcentagem de pessoas que não gostam do que falo e comentam que já fui mais engraçado ou que estou sendo ofensivo, quando na verdade não estou. São os ‘haters’, aqueles cuja missão é dizer que os outros são ruins, que não tem cultura ou que empobrecem a intelectualidade”, afirmou.

​Alguns comentários do ‘mito’​
▶ Sobre postagem de um bolo decorado com a foto de um pen drive: “um aniversário para se guardar na memória”
▶ Sobre matéria de bispa que lançou um perfume com ‘cheiro de Jesus’: “Deus odorante”.
▶ Na matéria que perguntava “Se um astronauta mata outro no espaço, ele pode ser julgado?”: “Trata-se de um crime sem gravidade”.
Texto: Celina Modesto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *