Resorts do Brasil se preparam para receber cassinos

Destaque Paraíba
Anúncios

A legalização do funcionamento de cassinos integrados a resorts pode gerar R$ 50 bilhões em investimentos e mais de 100 mil empregos no Brasil. Esta é a expectativa do Ministério do Turismo, que tem se aliado ao segmento hoteleiro na defesa da aprovação das matérias em tramitação no Congresso Nacional.
Apontado pelo Ministério do Turismo como fábrica de geração de empregos, o setor de resorts enxerga na legalização da atividade de cassinos uma forma de ampliação de negócios. “A expansão dos negócios nos resorts poderá ser ainda maior com a perspectiva de integração aos cassinos, como prevê a proposta em tramitação no Congresso Nacional, inclusive, com investimentos externos”, destacou o ministro do Turismo, Vinicius Lummertz, em material divulgado pelo próprio Ministério.
A defesa da pauta se guia por números internacionais. De acordo com o Ministério, 70% de todo o público do Conrad Punta del Este Resort & Casino, um dos mais famosos do balneário uruguaio, é formado por brasileiros. Outro dado levado em consideração é a movimentação de turistas e circulação de recursos em cidades como Las Vegas, que recebe 6,8 milhões de estrangeiros. O número é equivalente ao total de turistas estrangeiros que o Brasil recebe anualmente.
A legalização da atividade, no entanto, deve seguir regulamentação a ser prevista na Lei. A vinculação do cassino à resorts seria obrigatória e estaria associada ainda a adoção de uma infraestrutura completa, com shoppings, restaurantes e centros de convenção. Além disso, defende-se que haja regras claras sobre a concessão de gestão, concessão de licenças limitadas, análise do histórico dos responsáveis pela administração dos negócios e uma fiscalização rigorosa da atividade.
“O Ministério do Turismo trabalha na sensibilização dos parlamentares a respeito do tema, por entender que a regulamentação dos resorts integrados a cassinos é urgente – considerando a capacidade da atividade para atrair investimentos de grupos estrangeiros e seu potencial de ampliação do fluxo de turistas nacionais e internacionais para destinos domésticos”, afirmou a assessoria do órgão.

Resorts veem cassinos como forma de reduzir sazonalidade

O setor hoteleiro da linha de resorts em todo o país está animado com a perspectiva de aprovação de matéria no Congresso Nacional. Para representantes do setor, a aprovação iria garantir um aumento considerável da movimentação nos resorts durante todo o ano, diminuindo a sazonalidade da ocupação e também fomentando a cadeia econômica do turismo pelo país. “A lei ainda não foi aprovada e o texto ainda não é claro, mas o que percebemos é que os cassinos podem eliminar o problema de sazonalidade na ocupação dos hotéis, pois eles possuem a capacidade de atração de público o ano inteiro”, afirmou Alberto Cestrone.
Com poder de representação de 70% do segmento de resorts no país, o que significa 48 hotéis associados, a ABR afirma que há um interesse geral na implementação dos equipamentos, estando a maior parte dos estabelecimentos praticamente prontos para iniciar atividades. “Alguns já realizam torneios de pocker, que são liberados, ou mesmo fazem atividades lúdicas com o tema cassino, então já estão quase prontos, esperando apenas as especificidades da lei”, informou.
O presidente da ABR afirma ainda que a liberação do funcionamento das casas traria benefícios não apenas às redes hoteleiras, mas também diretamente ao setor de economia turística das cidades que receberem os equipamentos. “O aumento da receita é inevitável. As pessoas vêm pensando em aproveitar os jogos, mas é claro ela também consome uma série de outros produtos nas cidades, gerando desenvolvimento em diversas áreas, como comércio, serviços e alimentação”, afirmou.
Bárbara Wanderley – Jornal Correio da Paraíba