Hotel Bruxaxá, do glamour ao abandono

Destaque Hoteleria Paraíba

A cidade de Areia é um dos destinos mais procurados na região do Brejo da Paraíba. Os turistas vão em busca de natureza, cultura, gastronomia, esportes de aventura e tranquilidade. Mesmo sendo um roteiro quase que obrigatório para os visitantes e também os próprios paraibanos, a infraestrutura hoteleira deixa a desejar, apesar de alguns avanços. O Hotel Fazenda Bruxaxá poderia ser um empreendimento de excelência, mas que atualmente está em total situação de abandono, com duas famílias intrusas morando sem qualquer tipo de estrutura.
O Hotel Bruxaxá, que foi construído nos idos de 80, é um edifício de 3.120 metros quadros, dentro de uma área de 3,35 hectares, e que teve seus momentos de glamour. Com o passar do tempo e, naquela época, a falta de uma política de turismo, o hotel, que é administrado pela PBTur Hotéis, foi aos poucos sendo inviabilizado, com baixíssima média de ocupação, perdendo rentabilidade.
A empresa Areia Empreendimentos Turísticos (AET), que detinha o Termo de Permissão de Uso do prédio, teve um imbróglio jurídico com a PBTur Hotéis, que conseguiu a muito custo a retomada. De posse do prédio, a estatal buscou o melhor modelo para colocar o empreendimento de volta nas mãos da iniciativa privada. Não conseguiu, porque o custo de recuperação do prédio, aliado ao valor do investimento em novos equipamentos e a falta de perspectiva de atração de turistas afastaram o interesse de possíveis grupos empresariais.
O Governo da Paraíba, então, negociou com o Federal e fechou uma parceria onde o Bruxaxá seria cedido ao Instituto Federal da Paraíba, para a criação de uma escola de formação técnica em Hotelaria e Turismo. O projeto teria um investimento de R$ 7 milhões, que seria vinculado à reitoria do Instituto, e chegou a ser celebrado pelos envolvidos, mas também acabou frustrando a todos.
De acordo com o que a reportagem apurou, uma dívida da PBTur (Empresa Paraibana de Turismo) com a Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo) barrou o acordo entre os governos estadual e federal. A Embratur não aceitou o acordo, enquanto a PBTur alegou que não tinha recursos para quitar a dívida não fosse nessa via.
A reportagem manteve contato com a assessoria jurídica da PBTur para informar como está o processo de recuperação do Bruxaxá, mas, até o fechamento desta matéria, não havia respondido as questões solicitadas via email.

Famílias ocupam o prédio

O Bruxaxá é um hotel fazenda que dispõe de 34 quartos, lavanderia, orquidário e dois salões de convenções, um com 80 e o outro com 130 lugares. Atualmente, duas famílias estão ocupando o prédio como se estivessem ‘tomando’ conta do patrimônio. Os ‘moradores’ não quiseram falar com a reportagem para informar se estão ‘cuidando’ do prédio a pedido oficial da PBTur. Também não quiseram informar desde quando estão no empreendimento.
O fato é que, segundo o empresário Romeu Lemos, ex-secretário de Turismo de João Pessoa e Areia, o abandono do hotel tem prejudicado o desenvolvimento do turismo da região, que ainda carece de equipamentos hoteleiros daquele porte. Segundo ele, alguns empresários e grupos pensaram em investir no hotel há alguns anos, mas desistiram por falta de uma política de turismo que desse perspectiva de retorno financeiro.
A reportagem teve acesso ao imóvel e comprovou que existe todo o mobiliário, como camas, mesas, cadeiras, TVs, ar-condicionados, mas, a maioria, praticamente obsoleto. Também foi possível conferir que há toalhas de mesa, lençóis, fronhas, toalhas de banho, entre outros produtos, tudo praticamente sem qualquer condição de uso.

Redação – Fotos: Rafael Passos