Feira Internacional de Economia Criativa de João Pessoa encerra neste sábado

A 1ª Feira Internacional de Economia Criativa de João Pessoa, que acontece na Estação Cabo Branco – Ciência, Cultura e Artes, no Altiplano, se encerra neste sábado (24). Porém, o evento ficará aberto para visitação até o domingo (25) com produtos e serviços de qualidade nos segmentos definidos pela Unesco, em especial o artesanato, cinema, música e gastronomia. A Feira Internacional de Economia Criativa é uma das atividades do Programa João Pessoa Cidade Criativa da Unesco.

Os artesãos Armando Adonias Dantas Filho (Redes Santa Luzia), Joaquim da Silva Neto (Joca dos Galos) e Fernando Valentim dos Santos (Mestre Valentim) recebem neste sábado, às 17h, o prêmio de reconhecimento de excelência artesanal do Cone Sul, que será entregue em solenidade oficial, pelo presidente do Conselho Mundial de Artesanato da América Latina (Cmaal), Alberto Betolaza, pelo diretor da Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Indrassen Vencatachelum e pela primeira-dama, Maísa Cartaxo.

A premiação considera os cinco países do chamado Cone Sul, região da América Latina composta por Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai e Chile. No total, 20 artigos de artesanato originários dos cinco países foram premiados. As peças foram escolhidas considerando critérios como qualidade técnica, inovação, vínculo cultural e respeito ambiental.

Para o produtor, artesão e proprietário da Rede Santa Luzia, Armando Adonias Dantas Filho, esse prêmio é de grande importância para a Paraíba. Segundo ele, o prêmio também é mérito dos nossos artesãos que trabalham com a sustentabilidade de nossos produtos. “É isso que nós precisamos de motivação, de oportunidade para mostrar que nós somos capazes. Hoje, a Santa Luzia exporta para vários mercados internacionais e esse prêmio vai significar muito mais para nós. Meu muito obrigado pelo reconhecimento”, comentou.

O Brasil teve quatro artigos premiados, sendo três deles paraibanos. Foram selecionados uma garrafa de marchetaria criada pelo Mestre Fernando Valentim, um galo de folha de flandres feito pelo artesão Joaquim da Silva Neto (Joca) e Fábrica de Redes Santa Luzia. A quarta peça brasileira laureada foi uma cestaria de capim dourado da região do Jalapão, no estado do Tocantins.

Em entrevista por telefone, devido à saúde debilitada, o Mestre Valentim, contou de sua infância pobre em Patos (Sertão da Paraíba). “Me sinto muito honrado em receber esse prêmio, pois eu tive uma vida carregada de pobreza no sertão”, comentou Valentim.

O incentivo e o apoio ao artesanato têm sido uma marca da atual gestão municipal, que atua desde a capacitação dos artesãos até a realização de mostras e negócios. Para isso, a Prefeitura Municipal de João Pessoa (PMJP) mantém programas como o João Pessoa Artesã e equipamentos como o Celeiro Espaço Criativo. Todo o investimento levou a cidade a ser reconhecida como Cidade Criativa da Unesco pelo seu artesanato e arte popular.

Durante o evento, ainda foi escolhida a nova diretoria administrativa do World Crafts Council, o Consellho Mundial de Artesanato. João Pessoa estará representada no Conselho pelo Consultor da PMJP, Eduardo Barroso, que assumiu a função de vogal da nova junta administrativa. “É uma vaga importante que nos permitirá participar intensamente das atividades. O Brasil sai do evento com um reconhecimento muito importante. Fomos muito bem representados”, afirmou ele.

Secom João Pessoa

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *