Cooperativa denuncia Uber por transporte ilegal de turistas

Cotidiano

Motoristas que trabalham como Ubers na Região Metropolitana de João Pessoa estariam oferecendo serviços de guias de turismo há pelo menos um ano no Estado. A denúncia foi feita pela Cooperativa de Transporte Turístico da Paraíba (Coopermix) ao jornal CORREIO. A prática é ilegal e, segundo os guias, vem causando transtornos e prejudicando os turistas.

De acordo com o presidente da Coopermix, Marcos Iralu, há relatos de turistas que foram assaltados na Praia do Amor, que fica localizada no Litoral Sul da Paraíba, porque foram ao local acompanhados de Ubers em horários de pouco movimento. Outra turista acabou “ilhada” na Praia de Coqueirinho, também no Litoral Sul, porque o Uber contratado foi embora, sem avisar, antes do tempo combinado.

“Eles abordam os passageiros durante a corrida via aplicativo e deixam os cartões de visita. Os turistas acabam ligando para eles porque são seduzidos pelos preços e também porque não sabem que a prática é ilegal’, destacou Iralu. A guia de turismo Andrea Libardi já encontrou Ubers estacionados em frente a hotéis e pontos turísticos, aguardando turistas para oferecer os passeios.

“Eu estava conversando com um turista, então um Uber parou ao nosso lado e abriu o aplicativo no celular. O turista perguntou se ele era motorista de aplicativo e se iria para a praia de Coqueirinho. Na mesma hora ele se prontificou a fazer o passeio. Agora, todos os dias, esse mesmo motorista vai para os Hotéis Tambaú e Sapucaia aguardar turistas. Já flagrei vários com banners oferecendo serviços”, acrescentou Libardi.

Haveria até uma tabela média de preços sendo utilizada pelos Ubers. Uma corrida para o Litoral Sul, por exemplo, custaria R$ 180. O mesmo passeio de buggy, com guias credenciados, custa, em média, R$ 350. Segundo esclareceu o presidente da Coopermix, os guias de turismo são profissionais capacitados, aptos a prestar primeiros socorros, que estudam por 12 meses para receber o credenciamos do Ministério do Turismo.

Durante o curso, os guias aprendem sobre a história, as lendas, as características geográficas ou outros aspectos peculiares da Paraíba e do Brasil. “Não é justo que indivíduos descredenciados, sem nenhuma formação ou capacitação na área do turismo, se aproveitem de turistas desavisados, querendo vender um passeio em que nem mesmo conhecem o local”.

PBTur afirma que problema é antigo

A presidente da Empresa Paraibana de Turismo (PBTur), Ruth Avelino, destacou que essa situação é antiga, da época em que taxistas ofereciam, também ilegalmente, os serviços de guia. Com a chegada do Uber, esses motoristas independentes “assumiram” o posto.

“Para combater essa prática, é preciso um trabalho de conscientização tanto com os profissionais da rede hoteleira, que muitas vezes acabam indicando o Uber, quanto com os próprios turistas, que aceitam o serviço para economizar com o passeio”, comentou Avelino. A reportagem do jornal CORREIO procurou a assessoria de imprensa da Uber para comentar o assunto. No entanto, não tivemos retorno da solicitação.

Ellyka Gomes – Jornal Correio da Paraíba

2 thoughts on “Cooperativa denuncia Uber por transporte ilegal de turistas

  1. Eu acho que se o turista chamou o Uber pelo aplicativo, então é uma corrida normal… O problema está em o motorista oferecer o serviço por fora, aí é transporte ilegal. A solução é os turistas sempre agirem de forma correta, sempre solicitando a corrida pelo App. Se quiser um passeio turístico contratem o guia.

  2. Olha,pra um país que cobra muito sobre leis trabalhistas,o Uber e ilegal, se estão rodando porquê pagaram bem ,lá em cima .em Barcelona já foram banidos .tudo tem seu preço ,e cada um defende o seu trabalho ,se colocar no lugar do outro ninguém se coloca .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.