Governo da Paraíba vai contratar 4 mil professores em quatro anos

Destaque Paraíba

“Na Paraíba, quando se faz concurso se chama (os aprovados)”. É o que garante o governador do Estado, João Azevedo, que lançou na manhã de ontem, concurso da Educação com mil vagas para professores, com salários a partir de R$ 3,5 mil. O concurso, que será organizado pela AOCP, deve ter seu edital publicado ainda esta semana, de acordo com o governador. O compromisso, segundo ele, é abrir mil vagas para professores a cada ano, sendo que ao final do mandato, quatro mil professores terão sido acrescentados ao quadro efetivo do Estado.

O secretário de Educação do Estado, Aléssio Trindade, explicou que as vagas estão atualmente ocupadas por professores temporários. João Azevedo acredita que a realização de concurso é uma forma de selecionar os professores mais qualificados e competentes. “A partir do momento que você faz um concurso, e seleciona os mil primeiros colocados, de um concurso que eu acredito que vá ter um número significativo de inscritos, você está qualificando a mão de obra”, disse.

Aléssio Trindade também destacou que a contratação de professores efetivos é um investimento estrutural e para sempre. Segundo ele, o Governo do Estado vem investindo na área desde 2011. “Havia um déficit gigantesco de infraestrutura, que ainda precisa avançar, de projetos pedagógicos, de laboratórios de ciências e de robótica, que ainda precisa avançar, e a mesma coisa se faz com os professores. Trabalhamos com um corpo de professores efetivo e um corpo temporário para suprir as necessidades”, contou.

A grande novidade deste concurso é a inclusão de professores de língua espanhola. “Não só o inglês, mas também a língua espanhola tem tido uma enorme aceitação no mundo”, comentou João Azevedo. Segundo ele, no segundo semestre deste ano 500 profissionais aprovados no último concurso da área de segurança serão convocados.

Além disso, o governador comentou que os próximos concursos provavelmente serão da Procuradoria Geral do Estado da Paraíba (PGE) e da Agência Executiva de Gestão das Águas (Aesa), sendo este último em função de um acordo que foi feito com o Ministério da Integração para fortalecer a fiscalização das águas com a chegada da transposição do Rio São Francisco.

As vagas para professores da rede de ensino público estão divididas entre 13 disciplinas: Matemática (199), Língua Portuguesa (195) e Biologia (150), Artes (72), Educação Física (68), Filosofia (6), Física (47), Geografia (72), História (78), Língua Espanhola (18), Língua Inglesa (61), Química (28) e Sociologia (6).

“Esse é o plano de governo e compromisso que eu tenho com a Educação, de realizar um concurso público a cada ano para a contratação de mil novos professores. Faremos esse ano o primeiro, e teremos ao longo dos quatro anos, obviamente, quatro mil professores entrando pela forma mais correta, que é o concurso público, para compor essa equipe que tem mudado o ensino na Paraíba”, João Azevêdo.

Posse deve acontecer antes do início do ano letivo em 2020

O governador João Azevêdo afirmou que os candidatos aprovados nesse primeiro concurso da Educação deverão estar nas salas de aula já a partir do próximo ano, caso não aconteça nada de excepcional. Ele disse que o concurso deverá atrair um número grande de inscritos, tendo em vista a política de valorização do Magistério que tem sido desenvolvida pelo seu governo.

A entrada de novos professores na rede de ensino da Paraíba, segundo Azevêdo, traduz a busca pela melhoria da qualificação da mão de obra, que se estende a todo conjunto do setor educacional. O concurso, segundo ele, é uma “necessidade de atualização e melhoria do ensino, com preparação e qualificação de mão de obra.”

Azevêdo pontuou que essa (o concurso público) é uma lógica que entende ser correta. “Eu fui professor, hoje estou aposentado, mas acho que dentro de todas as áreas que requerem a responsabilidade e compromisso com a política pública a é maior. Nós estamos tratando de futuro, de sonhos dos jovens”.

A inserção da Língua Espanhola entre as disciplinas de professores, segundo o governador, “faz parte da nossa compreensão de importância como Sociologia e Filosofia, porque nós queremos formar o cidadão na sua plenitude, ele tem que ser um cidadão com conceitos de vida, de política e de informação geral, por isso, aqui na Paraíba, diferente de outras compreensões, Filosofia continua e continuará sendo ensinada nas escolas”.

O Programa Gira Mundo – intercâmbio que permite que estudantes da rede estadual de ensino participem de estágios em diversos países do mundo, como o Colômbia e a Espanha – foi lembrado pelo governador. Ele enfatizou que existe uma tendência no mundo de que não só o inglês é importante, mas o espanhol, que tem dito uma “aceitação enorme no mundo.”

Bárbara Wanderley e Fábio Cardoso – Fotos: Secom Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *