3 lugares na Argentina que você precisa conhecer

Colunistas Destaque Leo Ribeiro Roteiros

Mais do que suficiente, é necessário saber que qualquer escolha que fazemos carregam consequências boas e ruins, e a forma como lidar com elas depende apenas de quem as comete. Tendo isso em mente, o que eu quero compartilhar nessa publicação é uma opinião onde os objetivos sejam visitar lugares com características locais culturais bem presentes e com custo de vida mais acessível aos viajantes. A partir disso, vamos aos lugares:

1. Puerto Pirámides, Chubut

O primeiro lugar que tenho em conta nessa minha lista está na reserva natural da Península Valdés; povoado com mais ou menos 700 habitantes na Patagônia Argentina, Puerto Pirámides é, sem dúvida, um dos lugares mais magníficos e calmos ao sul do país. Muitas pessoas são atraídas a esse lugar pela beleza única e pela calmaria encontrada tanto em temporada de inverno quanto de verão; possui um camping municipal, além de poder ser possível se conseguir dormir pelas praias (barracas não são permitidas, mas a gente sempre arruma um jeito, né?). A Península tem aproximadamente 4000km² de extensão e, em temporada de inverno, recebe em suas águas baleias, orcas, além de pinguins, lobos e leões marinhos todo o ano – por isso, é considerada pela UNESCO patrimônio da humanidade.

2. El Bolsón, Río Negro

O segundo dos lugares mais característicos da cultura Argentina é, sem dúvida, a cidade de El Bolsón. Situada a 120km ao sul de Bariloche, El Bolsón é místico e cultural, teatral por natureza. Muito do turismo local é composto por mochileiros e cicloviajantes, tanto pela acessibilidade como pelo financeiro. Bolsón é um bosque que fica nas alturas das Cordilheiras dos Andes, em um vale, e tem várias opções de campings baratíssimos, possui uma feira de artesanato enorme e, ainda, tem eventos culturais semanais na praça central e na Carpa. A cidade respira cultura e te permite desfrutar do que há de mais sensillo e natural na rotina argentina, além de estar perto de montanhas, lagos e cascatas nos povoados das redondezas – como El Hoyo e Lago Puelo por exemplo -; aí, você encontrará maneiras alternativas de diversão que podem te custar absolutamente nada e, ainda, durante o verão, você poderá gastar uma grana na feira de artesanato promovida por artesãos e cuidada pela prefeitura local. Em sua história, há menções e lendas a respeito de duendes e seres místicos que habitam por ali e dão à cidade energia e graça sentida por todos.

3. La Plata, Buenos Aires

Agora, se pensar em capitais e querer uma dica realmente interessante, dentro do que pude experimentar, eu lhes garanto que La Plata é uma cidade para se conhecer. Sem dúvida, ela pode te oferecer tanto um ar mais tranquilo e saudável, como a calmaria de interior – mesmo sendo uma cidade grande e a capital da província de Buenos Aires -, mas também um ar de culturalidade imenso e uma cidade que nunca pára – tendo em vista as opções diversas de bares e restaurantes que ela tem. O teatro, além de ser força nacional, é presente na cidade, com muitas escolas de teatro, faculdades e universidades diversas voltadas para a Arte e Cultura, além de ser considerada uma cidade universitária. Te permite estar em um ambiente voltado a arte, mas também te permite entender e participar das atividades políticas inerentes do coração argentino; está a 60km da cidade de Buenos Aires e possui uma linha de trem que liga as duas cidades que custa apenas 4 pesos (pouco menos de 1 real).

Leandro Ribeiro
http://www.distropya.com/

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.