Aéreas estão cancelando ou reencaminhando os voos perto do Irã depois que o drone foi abatido

Destaque Mundo
Anúncios

A United Airlines suspendeu um de seus voos e outras companhias aéreas estão reencaminhando aviões para evitar o Golfo de Omã, depois que o Irã derrubou um drone americano operando na área.
Um voo da United (UAL) entre Newark e Mumbai foi suspenso a partir de quinta-feira, informou a companhia aérea.

“Dados os eventos atuais no Irã, a United conduziu uma revisão completa de segurança e proteção de nosso serviço na Índia por meio do espaço aéreo iraniano”, disse o United em um comunicado.

A decisão de suspender o serviço ocorreu quando a Administração Federal de Aviação proibiu as companhias aéreas norte-americanas de operar aviões em partes do Golfo Pérsico e do Golfo de Omã.

O órgão regulador dos EUA disse em um comunicado que “o aumento das atividades militares e o aumento das tensões políticas” na região poderiam “colocar os vôos comerciais em risco”.

O Irã abateu um drone militar dos EUA na quinta-feira, aumentando ainda mais as tensões na volátil região. A aeronave foi abatida usando um míssil de defesa aérea de médio alcance, de acordo com a mídia estatal iraniana. O incidente ocorreu após um ataque inexplicável ao transporte comercial no Golfo de Omã na semana passada.

Área de risco

Os céus acima do Golfo de Omã e do Golfo Pérsico são freqüentemente atravessados ​​por aviões comerciais, e o uso do espaço aéreo é especialmente pesado entre as aeronaves com destino a Doha, Dubai e Abu Dhabi. Companhias aéreas que operam vôos na região disseram na sexta-feira que ajustariam suas operações.

A Emirates, que opera em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos, disse em um comunicado que “adotou medidas cautelares, incluindo o redirecionamento de todos os vôos para fora de áreas de possíveis conflitos”. A companhia aérea disse que as mudanças nos horários de partida e chegada foram mínimas.

A Etihad, que também tem sede nos Emirados Árabes Unidos, disse que “planos de contingência estão em vigor” e que “decidirá quais ações adicionais serão necessárias após a avaliação cuidadosa da diretiva da FAA para as companhias aéreas dos EUA”.

A Qantas (QABSY), a companhia aérea de bandeira da Austrália, disse que está mudando as rotas de voo no Oriente Médio para evitar o Estreito de Ormuz e o Golfo de Omã. A companhia disse que a mudança afetaria os vôos entre Londres e Austrália.

CNN Business

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *