Com preços nas alturas das companhias aéreas, viagens de ônibus crescem até 25%

Destaque Paraíba

O aumento no preço das passagens aéreas, que chegaram a 35% no último ano de acordo com pesquisa do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), tem levado os passageiros a trocarem os aeroportos pelas rodoviárias. De acordo com a associação Brasileira de Transporte Terrestre de Passageiros (Abrati), a procura por passagens de ônibus para viagens interestaduais aumentou 15% em todo o país.

Na Paraíba, alguns trechos chegaram a ter aumento de 25% na procura. É o caso das viagens entre Campina Grande e Rio de Janeiro ou São Paulo, segundo o gerente de marketing da Guanabara, Rodrigo Monte Alverne. Além de Rio e São Paulo, Brasília (DF), Fortaleza e Crato, as duas últimas no Ceará, estão entre os destinos mais procurados.

O presidente da Associação Brasileira de Agências de Viagens na Paraíba (Abav-PB), Bruno Mesquita, explicou que, embora as agências de turismo do estado sejam muito focadas em transporte aéreo, a procura por trechos terrestres tem aumentado e muitos profissionais já começam a oferecer essa opção para os clientes.

O motivo, segundo ele, é principalmente o custo alto das passagens aéreas. “Uma passagem para Fortaleza, por exemplo, pode chegar a R$ 1,5 mil de avião e de ônibus sai por R$ 200”, disse. Outro fator é o encerramento das operações da Avianca, que, segundo ele, movimentava cerca de 10 mil passageiros por mês no estado. Com a saída da companhia aérea do mercado, as empresas restantes aumentaram os preços nos trechos que antes eram operados por ela.

O engenheiro civil Leonardo Valverde sentiu essa diferença quando precisou viajar de Recife a Juazeiro no mês passado. Após o voo da Avianca que iria levá-lo ser cancelado, a passagem em outras companhias aéreas estava custando mais R$ 600, sendo que, antes do voo ser cancelado ele havia pago apenas R$ 253. Na volta, ele contou que conseguiu comprar a passagem por R$ 194. “Foi a passagem mais cara que já comprei nesse trecho. Já teve época promocional de comprar a R$ 39,90 e, fora da promoção, sempre era no máximo R$ 99”, disse.

Bruno Mesquita revelou que tem esperança que os preços das passagens aéreas voltem a se estabilizar em um patamar mais baixo com a chegada de novas companhias aéreas no mercado brasileiro, ampliando a concorrência.

Enquanto isso não acontece, muitos usuários estão dando preferência às viagens de ônibus. É o caso do aposentado Francisco Xavier que afirmou que não tem mais condições de viajar de avião. “Eu fui fazer um cálculo agora para viajar para São Paulo, eu ia gastar no mínimo R$ 3,5 mil de avião. De ônibus eu gastei R$ 700”.

Para ele, a viagem de ônibus acaba sendo mais confortável, pois os leitos são reclináveis e espaçosos, diferente dos assentos apertados do avião. Além disso, não é necessário pagar pelo despacho da bagagem. “No avião a gente só pode levar 10 kg, eu estou indo para Fortaleza agora para passar 30 dias, então se fosse de avião ia gastar muito dinheiro com a bagagem que estou levando”, comentou.

Conforto para passageiros

O gerente de marketing da Guanabara, Rodrigo Monte, afirmou que várias empresas de transporte terrestre estão fazendo grandes investimentos para tornar as viagens de ônibus mais atrativas e recuperar pelo menos uma parte do público que migrou para os aeroportos.

Os ônibus da empresa, por exemplo, possuem vários diferenciais para tornar a viagem mais confortável, como internet wi-fi gratuita, entradas USB e um sistema de entretenimento que possibilita ao passageiro assistir diversos filmes durante a viagem. Alguns ônibus chegam a possuir até poltronas massageadoras.

“Hoje em dia a viagem de ônibus não é mais ‘pé duro’, como a gente chamava aquele ônibus duro desconfortável. Se aperfeiçoou. Se a pessoa não tem urgência de chegar ao local, sai mais barato”, disse Bruno Mesquita.

Bárbara Wanderley – Foto: Assuero Lima – Jornal Correio da Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.