Embratur deve captar companhias aéreas da Europa para operar em Manaus

Brasil Destaque

O presidente da Embratur (Instituto Brasileiro de Turismo), Gilson Machado Neto, garantiu apoio na captação de voos de companhias aéreas da Europa para Manaus, no Amazonas. O pedido veio da presidente da Amazonastur, Roselene Silva de Medeiros, que esteve no Instituto nesta quarta-feira (24). Segundo ela, “há empresas interessadas no Brasil e tende a acatar o que a Embratur atesta”.

Gilson Machado Neto foi enfático ao afirmar que a Embratur irá participar ativamente das tratativas com as empresas. “Dando prosseguimento à nova política do presidente Jair Bolsonaro, de tornar o Brasil um país aberto, coloco nossa equipe técnica à disposição para começarmos, de fato, a encabeçar voos diretos que ligarão a Europa a Manaus, já que, atualmente, a região não tem nenhuma conexão com o continente”, disse o presidente do Instituto.

Neste primeiro momento, de acordo com ele, a Embratur vai trabalhar de forma técnica, em contato com as companhias interessadas, para “entender as principais demandas, auxiliando com informações de mercado, quais as contrapartidas e demais ajustes para as tratativas de acordo e garantia da captação dos voos”.

De acordo com a presidente da Amazonastur, o apoio da Embratur é fundamental para o fortalecimento da conectividade aérea do Brasil como o mundo. “As frequências diretas são muito propícias para aumentar o número de turistas internacionais no País, garantindo conforto e melhores opções para o viajante”, destacou Roselene Silva. 

Setor de cruzeiros no Brasil

Ainda nesta quarta-feira, o presidente da Embratur, Gilson Machado Neto, recebeu Marco Ferraz, presidente da CLIA Brasil, entidade que tem o objetivo de atuar na regulamentação, promoção e expansão de cruzeiros marítimos no Brasil. O representante apresentou dados importantes do setor.

De acordo com Marco Ferraz, depois de 9 anos, o número de leitos para a temporada 2019/20 crescerá 6,3%, além de um maior número de roteiros durante o período, compreendido entre novembro e abril. “Ao todo, teremos que vender mais de 500 mil leitos. Em 2018/19 e 2017/18, já tínhamos crescido 15%, então, acumulamos um crescimento de 36,3% nas últimas três temporadas aqui no Brasil”, destacou.

Um dos desafios apontados pelo presidente da CLIA Brasil é o fortalecimento do Amazonas, que têm 97% de floresta preservada, como destino durante as paradas de embarcações internacionais no verão do País. “A região apresenta lugares que os turistas estrangeiros mais se encantam. O desafio é tornar essa região mais competitiva”, reforçou.

Gilson Machado Neto se colocou à disposição para encabeçar novos encontros entre o governo federal, a entidade que representa o setor e o governo do Estado do Amazonas, com o intuito de atender e fortalecer a presença de cruzeiros marítimos na região.

“Nosso principal objetivo é aumentar o número de cruzeiristas no Brasil, pois apenas 65 mil passageiros passam pelo País por ano. Já tivemos 32 cruzeiros marítimos em águas brasileiras, agora, temos 8. O governo está aberto ao diálogo para que, juntos, reforcemos este que é um setor importantíssimo para a economia do País”, informou o presidente da Embratur.

Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.