Novas regras tornam Greencard para investidores mais caro nos EUA

Mundo
Anúncios

Após anos de discussão, o governo do presidente Donald Trump reformulou as regras para concessão do visto E-B5. As alterações foram divulgadas pela United States Citizenship and Immigration Services (USCIS), órgão responsável por serviços de cidadanias e imigração. Um dos pontos altos da mudança é no investimento necessário para o E-B5. A partir de 21 de novembro deste ano, o investimento mínimo inicial, que precisava ser de U$ 500.000, passará a ser de U$900.000 – quase o dobro do valor praticado anteriormente.

Conhecido também como “Golden Visa”, o programa é voltado aos estrangeiros que tem interesse em investir nos Estados Unidos e conquistar o greencard para se tornar um residente permanente. Além do investimento inicial, o candidato deve criar ou preservar pelo menos 10 empregos em tempo integral nos EUA.

Com mais de 15 anos de experiência em vistos EB-5 no mercado norte-americano, a consultoria Oxford Group considera que o brasileiro que tem a intenção de investir nos EUA não deve aguardar. “A intenção deste programa é beneficiar os trabalhadores locais, impulsionar a economia e ajudar as comunidades em dificuldades, atraindo o investimento de capital estrangeiro nos Estados Unidos. O EB-5 ainda é o caminho mais considerável para quem quer conseguir o greencard. É muito procurado por quem quer não apenas viver nos EUA, mas investir e ter um negócio próspero”, explica o presidente do Grupo, o economista Carlo Barbieri. A empresa brasileira recentemente recebeu a homenagem da U Global e EB5 Investors, como uma das 50 melhores empresas de Migração do mundo.

Essa é a primeira revisão significante que o visto sofreu desde que foi criado pelo Congresso americano na década de 90. Para além da correção no valor, outros critérios do processo também foram alterados. O USCIS terá uma maior responsabilidade em gerenciar diretamente as ações do Targeted Employment Area (TEA) – área de emprego para qual o valor arrecadado será direcionado. Existem duas opções: áreas de alto desemprego e áreas rurais. Com esta nova designação, o congresso pretende direcionar os investimentos às áreas que realmente carecem de investimentos.

EB-5 PARA BRASILEIROS

No ano passado, mundialmente, o Brasil ocupou a sexta posição entre países com maior número de participantes de programa EB-5 e figurou como o país com maior número de emissões no continente americano. Só em 2018, foram 388 vistos EB-5 emitidos a brasileiros – um aumento de 37,5% em relação a 2017 e de de 1.041,2% em comparação a 2015, de acordo com o Serviço de Cidadania e Imigração dos EUA – em inglês, USCIS.

“Hoje, grande parte dos brasileiros que decidem migrar vêm com planos a longo prazo, com intuito de viver e investir no país. Com mais de 40 anos de mercado, notamos que a maioria dos investidores são atraídos pela estabilidade americana. Estabilidade esta que se estende a diferentes setores, como: política, jurídica e tributária. Além da alta satisfação popular com segurança, educação e qualidade de vida”, explica Barbieri.

Ainda em tempo

Especialistas esperam uma onda de entusiastas ao EB-5 nos próximos meses. Faltando apenas quatro meses para que as regras entrem em vigor, os investidores ainda podem solicitar o visto com o mínimo atual de US $ 500 mil.

“Investir nos EUA pode ser o caminho certo, desde que feito de forma inteligente e planejada. Um investimento assertivo pode resultar em independência financeira e um negócio com estabilidade há longo prazo. Para quem já tem a intenção de investir no EB-5, como as mudanças começam em novembro, o ideal seria dar início o quanto antes no projeto”.

Os pedidos apresentados antes da data efetiva de 21 de novembro de 2019 serão processados de acordo com os regulamentos EB-5 atuais.

Assessoria de Imprensa