Exposição “Jackson é pop – 100 anos” é aberta no Salão Negro do Congresso Nacional

Eventos Culturais
Anúncios

A senadora Daniella Ribeiro, líder do Progressistas no Senado Federal, participou nesta terça-feira (08) da abertura da exposição “Jackson é pop – 100 anos”, no Salão Negro do Congresso Nacional. A exposição promovida pela Câmara dos Deputados contou com a presença do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o líder da Maioria, deputado Aguinaldo Ribeiro, entre outras autoridades e convidados da Paraíba.

Durante a cerimônia, a senadora lembrou que a música está na essência da sua família e, é por isso, que o deputado Aguinaldo Ribeiro, ao visitar o Museu dos Três Pandeiros, em Campina Grande, teve a ideia de propor à Câmara dos Deputados trazer a exposição para Brasília. “Esta exposição possibilita mostrar para todo o país a história de Jackson do Pandeiro que é tão atual, influencia e, com certeza, influenciará as próximas gerações”, disse a senadora.

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia, acompanhou cada painel da exposição e lembrou que é um paraibano de Catolé do Rocha. A cultura, segundo ele, é fundamental para o desenvolvimento do país. “Quem não investe em cultura, deixa o país num atraso, sem diálogo e sem perspectiva. Educação e cultura são duas palavras que certamente são decisivas para qualquer país que pretende ser cosmopolita, desenvolvido e moderno”.

O líder da Maioria, deputado Aguinaldo Ribeiro, disse que ao visitar a exposição de Jackson do Pandeiro, em Campina Grande, se emocionou com todo o acervo do artista. “Esta exposição é um resgate da nossa história”, disse o deputado. Ele lembrou que a música está em sua essência.

Também estavam presentes na cerimônia os deputados estaduais Tovar Correia Lima e Renato Gadelha. Os músicos Sandrinho Dupan, curador da exposição, e Luizinho Calixto, apresentaram algumas composições do músico. Segundo Luizinho Calixto, Jackson do Pandeiro foi o compositor mais gravado com 164 músicas e mais de 20 ritmos desde sambas, marchinhas e frevos. “Jackson já tinha um olhar vanguardista”, disse Luizinho.

Assessoria de Imprensa