FAB mandará dois aviões para repatriar brasileiros no Peru, mas não haverá vagas para todos

Aviação Coronavirus Destaque
Anúncios

A Força Aérea Brasileira (FAB) vai resgatar cidadãos brasileiros no exterior, que estão impedidos de voltar para o Brasil em razão do fechamento das fronteiras pelos países para combater o coronavírus. Na manhã desta terça-feira (24), dois aviões C-130 (Hércules) decolam do Rio de Janeiro em direção a Cusco, no Peru.A informação foi divulgada no site do Jornal O Globo.

Com previsão de chegada na quarta-feira (25), cada uma das aeronaves levará uma equipe médica e material de defesa biológica. Serão repatriados brasileiros que se encontram isolados e enfrentando dificuldades naquela localidade, em atuação coordenada com o Itamaraty. Estima-se que haja cerca de 200 pessoas presas em Cusco, que não consegue voltar para o Brasil.

A notícia desses dois voos foi comemorada pelos 198 brasileiros em Cuzco, que criaram um grupo no WhatsApp. A dúvida do grupo, por outro lado, é a incerteza de que todos serão repatriados. O Hércules (C-130) da FAB tem capacidade para 92 passageiros, mas há muito mais brasileiros no Peru.

No grupo há turistas de diversos estados, entre eles paraibanos, paulistas, cariocas. Conforme informado entre eles mesmo, há 302 brasileiros no Peru – em Lima (56); Lobitos (19); Puerto (18); Huaraz (07); Tumbes (01); Ica (02) e Cusco (198).

Há pessoas em cidades um pouco mais distantes e que podem enfrentar bloqueios do Exército na estrada a caminho de Cuzco. Um casal do Piauí que está em Pisac (há uns 40 minutos) confirmou que terá dificuldade para seguir, mas tentará sensibilizar as forças militares.

Um voo da Gol Linhas Aéreas deve decolar de Lima para Guarulhos (SP), nesta terça-feira, levando clientes da companhia aérea que já tinham bilhetes.

Não se sabe quais serão os critérios adotados para que os brasileiros possam embarcar nos aviões da FAB. O grupo está tentando conferir listas com os nomes e situação de cada um no Peru, nada oficial. O Ministério da Defesa com o Ministério das Relações Exteriores está coordenando essa repatriação.

Fábio Cardoso, com O Globo