Governador da Paraíba se diz perplexo com possível carreata pedindo fim do isolamento social e lembra mortes na Itália

Destaque Paraíba

O governador da Paraíba, João Azevêdo, se disse ‘perplexo’ ao saber que existe um movimento em João Pessoa para promover uma carreata, neste sábado (28), em defesa da reabertura do comércio e o fim do isolamento social por meio de decretos. “Todo cidadão tem direito a protestar, manifestar a sua opinião, mas acho temerário esse tipo de protesto em meio à crise provocada pelo coronavírus no mundo”, afirmou o governador por meio de um vídeo postado na sua conta do Twitter nesta sexta-feira (27).

De acordo com Azevêdo, as medidas de restrições impostas pelo governo são necessárias nesse momento em que a Paraíba ainda registra poucos casos de pessoas acometidas com o coronavírus. Segundo ele, a Paraíba começou o enfrentamento ao vírus mesmo apresentando números baixos de suspeitos e confirmações, acreditando que essa medida tem contribuído para que não haja aumento representativo de casos.

Azevêdo lembrou a situação na Itália, um dos epicentros do coronavírus no mundo. Somente nesta sexta-feira, quase mil pessoas morreram vítimas da doença. Ele citou a decisão da prefeitura de Milão, de incentivar as pessoas a irem às ruas, e os resultados de tamanha irresponsabilidade. Dados atuais mostram que na região de Milão mais de 4,4 mil pessoas já morreram, mais da metade de toda a Itália.

O governador citou três elementos que a Paraíba e a sua população não podem deixar de exercitar nesse momento. “Ciência, Experiência e Consciência”, modelos adotados pelas principais potências do mundo e que têm surtido resultados importantes no combate ao coronavírus.

Encerrando o pronunciamento, o governador afirmou que, quando a situação estiver mais segura, será o primeiro a anunciar as medidas de relaxamento das restrições e isolamento social. Mais importante do que as pessoas não pegarem a doença, é não transmiti-la para outras pessoas.

Fábio Cardoso