Presidente do Botafogo da Paraíba disse que não tem como pagar folha “cheia” e anuncia primeiras dispensas

Cotidiano Esportes EXCLUSIVO
Anúncios

O presidente do Botafogo da Paraíba, Sérgio Meira, afirmou nesta segunda-feira (06) que o clube deve negociar redução de salários do elenco e confirmou que alguns atletas não continuarão no clube já a partir de maio, quando os contratos serão encerrados. Entre os atletas que deixarão o clube estão Kelvin e Rogério. A folha de pagamento do clube gira em torno de R$ 400 mil.

“Alguns terminam (contratos) em maio. Nesta situação é melhor encerrar, diminuir a folha. Depois reorganizar e focar a série C”, enfatizou Sérgio Meira, que disse que o clube pretende pagar a folha ainda nesta semana, apesar de admitir que não sabe se o elenco aceitará redução salarial e até a possibilidade de discutir essa medida na Justiça. “Estamos aguardando as definições legais para aplicarmos na nossa folha”.

“Não sei se o elenco vai aceitar, mas há momentos em que deverão ser resolvidos de uma forma ou de outra, nem que seja na Justiça. Acho que nesse momento não é para isso. Temos que chegar num consenso, estamos aguardando. Dentro da programação financeira, teríamos hoje tranquilidade para pagar a folha, mas tudo mudou em função de jogos, de patrocínio. Temos que fazer uma nova programação para que possamos seguir em frente e passar esse momento difícil”, disse Sérgio Meira.

Com o cenário ainda muito incerto, conforme o presidente do Belo, não sabe como vai fazer esse pagamento. “Tem um recursos e preciso negociar com o elenco. Não tem como pagar a folha cheia”, reforçou. “Estamos aguardando como os demais clubes estão fazendo. Estamos conversando com os outros clubes da Série C. Todos estão com essa dúvida, aguardando ajuda financeira da CBF (Confederação Brasileira de Futebol) e essa semana deve ser definitiva para saber sobre valores.”

Uma comissão de representantes de clubes da Série C encaminhou na semana passada um documento à CBF. Sérgio Meia disse que não pode ser divulgado ainda o que foi solicitado.

Fábio Cardoso