Após a bebedeira e representação do Conar, sertanejo Gustavo Lima avisa que não fará mais lives

Cotidiano

Após virar alvo do Conar, órgão de regulamentação publicitária, Gustavo Lima anunciou via Twitter, nesta quinta-feira (16), que não fará mais lives. A Conar abriu uma representação ética contra o sertanejo e a Ambev, por possíveis irregularidades em relação ao consumo de bebida alcoólica nessas lives.

Durante a live realizada no final de semana passada, GL apareceu por diversas vezes ingerindo bebidas alcóolicas e com um comportamento que não agradou a todos que estavam assistindo.

A representação no Conar foi aberta após dezenas de denúncias de internautas, envolvendo desde a falta de mecanismo para o acesso de menores de idade até o consumo excessivo de bebida alcoólica pelo músico, o que poderia ser considerado um estímulo ao consumo irresponsável do produto.

Em nota, o Conar afirmou que, apesar do formato inovador das apresentações online, elas devem seguir “princípios fundamentais da comunicação comercial do segmento, com a divulgação responsável de bebidas alcoólicas e com os cuidados para que não seja difundida a crianças e adolescentes”.

GL lamentou a ação do Conar e criticou os internautas que reclamaram e fizeram as denúncias.

“Àqueles que só criticam e não ajudam em nada, vai um conselho: não precisam ajudar, mas não atrapalhem quem está procurando ajudar nossos irmãos necessitados”, escreveu ele na quarta-feira (15).

Em seus tuítes, Lima disse que os artistas estão procurando uma forma de interagir com o público durante a quarentena provocada pela pandemia do novo coronavírus. “Estamos prestando um grande serviço social por meio dessas lives”, escreveu.

A Ambev afirmou que tem patrocinado algumas lives nesse momento de quarentena “sempre com o cuidado de assegurar as medidas de higiene e distanciamento social e com a devida orientação prévia aos artistas sobre as regras do Conar de publicidade de bebidas”. Mas destaca que “em algumas lives, de forma totalmente espontânea, algumas orientações não foram seguidas”.

“Estamos reforçando as regras dado esse novo contexto de entretenimento virtual e estamos mais do que nunca comprometidos com o consumo responsável de nossos produtos”, afirmou a Ambev em nota. “Vale lembrar que a live é de propriedade do artista, muitas vezes realizada em sua casa, o que representa um desafio”, afirma nota da Ambev.

Redação, com Folha de S.Paulo