Restaurante de Gramado (RS) serve espumante ao ritmo do ‘meme do caixão’ e provoca indignação

Brasil

Lamentável. A gente sabe e conhece a seriedade com que os empresários de Gramado, nas Serras Gaúchas, trabalham para o desenvolvimento econômico da região. Sabe também, que o mercado do turismo responde a quase 90% da mão de obra empregada e contribui decisivamente para a entrada de recursos nos cofres do município. Ainda, que a cidade é um dos principais destinos dos brasileiros e de muitos estrangeiros.

Por tudo isso, e muito mais, é inaceitável a atitude dos funcionários do restaurante Divino servindo espumantes aos clientes ao som da música que ficou conhecida pelo meme do caixão, durante a pandemia. Esse lamentável episódio aconteceu no último sábado (09). O vídeo com essa cena dantesca está circulando nas redes sociais.

No Brasil, já são mais de 11 mil mortos no Brasil por covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Nas imagens, os garçons aparecem simulando o carregamento de caixões com garrafas de espumantes, aos risos, cantando e dançando a música do grupo Ghana´s Dancing Pallbearers, formado por dançarinos ganeses que promovem festas em funerais.

É sabido que o prefeito de Gramado, Fedoca Bertolucci, decretou o relaxamento das medidas de isolamento social para diversos segmentos, entre eles restaurantes e a rede hoteleira, porém, respeitando uma série de medidas de segurança recomendadas pela Organização Mundial de Saúde (OMS). Certo ou não, no momento correto ou não, a realidade é que a cidade começou a girar a roda da economia, ainda que muito limitado.

O que não dá para aceitar, em nome dos empresários sérios da cidade, é esse tipo de comportamento e atitude, que devem ser punidas na mesma proporção pelas autoridades municipais.

Nota de esclarecimento

Em nota de esclarecimento publicada na conta do Instagram, assinada pelo diretor do empreendimento, Valdemir Ecker, diz lamentar e repudiar o episódio. “Não compactuamos com esta atitude totalmente descabida para o momento em que vivemos, em meio à pandemia de Covid-19″.

De acordo com a nota, o “triste episódio” teria ocorrido “por uma falha operacional, no exato momento em que o gerente saiu para comprar um produto que havia faltado. Se aproveitando do momento, um dos integrantes da mesa foi até o DJ e pediu a referida trilha musical, além de ter encomendado a coreografia aos garçons”, informa a nota.

“Por este motivo, vimos pedir desculpas aos nossos clientes e a toda sociedade por esta falha, e dizer que estamos tomando todas as providências para que episódios desta natureza não venham a ocorrer novamente no Divino.”

Enquanto isso, no sul do Brasil. Usaram a música dos caras que carregam caixões para festejar a reabertura dos comércios. Logo hoje , no dia em que o Brasil bate 10.267 mortes, mas o incrível que o que carregavam nos ombros não era caixões , mas sim bebidas.

Publicado por Dani Lopes em Domingo, 10 de maio de 2020

Fábio Cardoso