Governo e Assembleia Legislativa decretam luto oficial por três dias pela morte do ex-governador da Paraíba, Wilson Braga

Cotidiano Paraíba

O governador da Paraíba, João Azevêdo, decretou luto oficial de três dias e lamentou a morte do ex-governador Wilson Braga, de quem foi auxiliar de Governo nos anos 1980, exercendo os cargos de diretor da Divisão de Planejamento Habitacional do antigo Instituto de Previdência do Estado da Paraíba (Ipep); e coordenador de Planejamento do Conjunto Valentina Figueiredo, além de outros conjuntos construídos na sua gestão.

O corpo do ex-governador foi sepultado na manhã desta segunda-feira (18), ao lado de sua esposa, no cemitério Parque das Acácias, em João Pessoa.

Neste momento de luto da política paraibana, o governador João Azevêdo se solidariza com a dor dos amigos e familiares pela perda irreparável e apresenta suas condolências.

A Assembleia Legislativa da Paraíba também lamentou a morte de Braga e divulgou nota oficial de solidariedade. “Em nome de todos os deputados estaduais e servidores da Casa de Epitácio Pessoa, viemos a público lamentar o falecimento deste grande político que a Paraíba teve. Wilson Braga teve toda uma vida dedicada ao povo da Paraíba e nos deixa quando a Paraíba ainda está enlutada pela partida da sua esposa, Lúcia Braga, que nos deixou há 10 dias”, resumiu o presidente Adriano Galdino, que decretou três dias de luto e atividades suspensas pelo falecimento do político paraibano.

O prefeito de João Pessoa, Luciano Cartaxo, lamentou o falecimento do ex-governador da Paraíba, Wilson Braga, mais uma vítima da Covid-19, assim como sua esposa, Lúcia Braga, falecida na última sexta-feira (8).

“Wilson Braga partiu nos deixando um legado de lutas e serviços que marcaram a vida dos paraibanos. Ele teve uma vida marcada pelo trabalho político intenso, assumindo os mais diversos cargos públicos em todas as esferas de poder e, através dos quais, buscou deixar um legado para a história. Nossos profundos votos de pesar à família, amigos e milhares de paraibanos que hoje lamentam a sua perda. Desejamos força e serenidade para atravessar este momento de dor e luto”, afirmou.

A Mesa Diretora da Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP) igualmente expressou seu profundo pesar pelo falecimento do ex-governador da Paraíba Wilson Braga, aos 88 anos em decorrência de complicações causadas pela covid-19. O falecimento se deu no fim da noite deste domingo, 17.

“Por sua relevância na política e sua importância para sociedade, a Câmara Municipal de João Pessoa lamenta a partida do ex-chefe do Executivo paraibano e transmite seus votos de solidariedade aos parentes, amigos e admiradores deste político.”

A Federação das Associações de Municípios da Paraíba (Famup) lamentou o falecimento do ex-governador da Paraíba, Wilson Braga. vítima da Covid-19. O presidente da entidade, George Coelho, destacou o legado que o ex-parlamentar deixou na garantia de acesso à habitação, educação e olhar sensível à população vulnerável.

“Wilson Braga deixa um legado na história da Paraíba, sobretudo pelo olhar sensível para a população mais vulnerável, por meio da criação de projeto que beneficiava famílias e crianças, desde o estímulo à construção de habitações até na educação”, destacou o presidente da Famup.

Além de ser governador da Paraíba entre 1983 e 1985, Wilson Braga foi deputado estadual por dois mandatos (1955-1967 e 2011-2015), deputado federal por quatro mandatos (1967-1982, 1995-1999, 1999-2003 e 2007-2011), vereador de João Pessoa entre os anos de 1993 e 1994 e prefeito de João Pessoa entre 1989 e 1990.

No início deste mês, o ex-governador Wilson Leite Braga, 88 anos, e a sua esposa, ex-deputada Lúcia Navarro Braga, 86 anos, foram internados no Hospital Nossa Senhora das Neves, em João Pessoa, com suspeita de terem contraído o novo Coronavírus. A ex-primeira dama Lúcia Braga, com um caso considerado mais grave, por ser asmática e com deficiência cardiorrespiratória, faleceu na última sexta-feira (8). O ex-governador também apresentou os sintomas da Covid-19, porém o seu quadro foi considerado menos preocupante após avaliação e chegou-se a dizer que ele não tinha o coronavírus. Depois, descobriu-se que a testagem foi feita no início da doença quando o recomendável é que o exame ocorra pelo menos uma semana depois do início dos sintomas. Com o teste refeito, a infecção de Braga foi confirmada. Seu quadro se agravou com o comprometimento dos rins até seu falecimento no fim da noite deste domingo.

Entre as ações de Wilson, na área social urbana junto à Fundação Social comandou a construção de 14 mil casas populares na periferia de João Pessoa, no chamado mutirão da habitação. Já o mutirão escolar, apoiado pelo Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), matriculou cerca de 30 mil crianças marginalizadas, na época utilizou diversos tipos de acomodação, como campos de futebol, igrejas, clubes e galpões para garantir um maior acesso.

Enquanto governador, Wilson Braga lançou também o olhar sobre as regiões paraibanas mais atingidas pela seca, por meio do projeto Canaã, promoveu captação e aproveitamento de recursos hídricos e a multiplicação de empregos no sertão do Estado. Ele ainda comandou o projeto João de Barro, que criava estímulos às famílias desabrigadas para a construção de suas próprias casas.

Assessorias de imprensa e Múltipla Comunicação