Advogada de Hulk aciona OAB e Tribunal de Justiça da Paraíba para investigar vazamento de documento sob sigilo judicial

Destaque EXCLUSIVO Paraíba
Anúncios

A advogada do jogador paraibano Hulk, Marisa Alija, informou nesta sexta-feira (22) que já está acionando a Ordem dos Advogados do Brasil e a Presidência do Tribunal de Justiça da Paraíba, solicitando que empenhem o máximo de esforço para que se realize uma rigorosa investigação e se apure de onde vieram os vazamentos do documento sob sigilo judicial; “vazamentos estes que atentam contra meu cliente e sua família, assim como a mim e toda minha equipe profissional; mas, principalmente contra a justiça, que foi ultrajada.”

A investigação, segundo documento enviado pela assessoria de imprensa do jogador ao Turismo em Foco, tem o intuito de apurar atos que “evidenciam graves violações de ordem judicial – em visível intenção de expor meu cliente e, ainda, tentar atingir minha imagem e capacidade profissional (para obter benefício não se sabe de que). É importante informar para todos que estão repassando estas mensagens que, também estas pessoas estão incorrendo em crime de propagação de documento sob sigilo judicial e, se identificados, poderão sofrer condenações criminais.”

No documento assinado pela advogada, ela questiona que, “diante da criminosa propagação na data de 21 de maio de 2020, em vários grupos de WhatsApp, venho responder publicamente a acusação de que o documento “Ação de Partilha” está sendo divulgado porque a advogada não pediu sigilo no processo. Este foi um atentado contra a justiça, o meu cliente e a mim mesma.”

Segundo Marisa Alija, “analisando o documento enviado por WhatsApp, vê-se na qualificação do processo: dia 21/05/2020 (dia que se “puxou” o documento do processo); o nome das partes; “segredo de justiça: não” e somente o nome dos advogados de meu cliente. Porém, analisando o documento retirado no mesmo dia 21/05/20 do site do Tribunal de Justiça da Paraíba, verifica-se consta o nome das partes, o nome dos advogados (também das advogadas da ex-mulher de meu cliente) e, principalmente, “segredo de justiça: SIM”!!!”

Marisa Alija afirma comprovar que o documento divulgado é falso. Ou seja, o “documento” do Tribunal de Justiça da Paraíba que circulou pelos grupos de WhatsApp, trazendo a Ação de Partilha em anexo, É ADULTERADO, FALSO. Repara-se que, além de não constar o nome das advogadas da ex-mulher de meu cliente, ainda a hora de distribuição e também o ID (número do documento) não são os verdadeiros.”

A advogada afirma ainda, que “as pessoas inescrupulosas que fabricaram esse documento do Tribunal de Justiça da Paraíba, fizeram isso com o único propósito de usarem uma falsa falta de segredo do justiça para espalharem criminosamente a Ação de Partilha e, assim, tentarem atingir minha reputação profissional com uma suposta “falha”.”

Ainda conforme o documento, a advogada diz que é “importante informar que – também de forma irregular – essa mesma Ação de Partilha foi utilizada pelos advogados dos sócios-administradores do Supermercado Classe A, na ação no. 0809176.89.2020.8.15.2001 – que tramita perante a 16ª Vara Cível da Comarca da Paraíba -, proposta por meu cliente Hulk, diante de irregularidades existentes. Também neste processo foi alegado que a Ação de Partilha seria sem segredo de justiça, no dia 18 de março de 2020, apresentei manifestação em referido processo, demonstrando que sim, a Ação de Partilha corre em segredo de justiça.”

Fábio Cardoso