McDonald’s substitui bandejas de plástico de seus restaurantes no Brasil por versão mais sustentável

Cotidiano

A Arcos Dorados, maior franquia independente do McDonald’s do mundo e que opera os restaurantes da rede na América Latina e no Caribe, avança em seu compromisso de impactar positivamente o meio ambiente e anuncia a substituição das bandejas de plástico utilizadas pelos clientes nos salões por uma versão mais sustentável.

O movimento faz parte de um programa de redução de plásticos que começou em 2018. Desde então, um total de 1.300 toneladas de plástico de um só uso foram retiradas dos restaurantes.  O plano da companhia é continuar nesse caminho, garantindo que o material eliminado jamais retorne e que o impacto positivo das medidas seja verdadeiramente poderoso.

As novas bandejas representam o primeiro passo da parceria entre a Arcos Dorados e a UBQ, empresa israelense especialista na conversão de resíduos domiciliares em termoplásticos. Nesta primeira fase, 7.200 bandejas sustentáveis foram distribuídas em 30 McDonald’s localizados em 20 capitais brasileiras. A iniciativa será estendida gradualmente às demais unidades da rede em todo o país e, para isso, já estão em produção 11 mil unidades adicionais. Com o uso de UBQ na fabricação das bandejas, mais de 1.200kg de resíduos já deixaram de ir para aterros.

As novas bandejas são produzidas pela empresa brasileira Semaza, cuja fábrica está localizada em Santana de Parnaíba, na Grande São Paulo. As peças antigas retiradas dos restaurantes serão destinadas aos projetos de economia circular promovidos pela própria Arcos Dorados.

“Somos uma companhia totalmente comprometida com o meio ambiente e estamos fazendo tudo o que é possível para reduzir o impacto de nossa operação, dentro de nossa plataforma Receita do Futuro. A parceria com a UBQ é mais um passo para trazer cada vez mais soluções inovadoras para melhorar o mundo em nossa volta e estamos orgulhosos em dar esse primeiro passo, apoiando uma tecnologia que irá mudar a forma como a sociedade recicla seu lixo orgânico”, afirma Gabriel Serber, Diretor de Desenvolvimento Sustentável e Impacto Social da Arcos Dorados.

A iniciativa utiliza o processo inovador desenvolvido pela UBQ, que usa o resíduo orgânico como parte essencial na produção de um termoplástico mais favorável ao meio ambiente. No processo, os resíduos são divididos em seus componentes naturais básicos, como celulose, lignina, açúcares e fibra, para o desenvolvimento de uma matéria-prima compatível com máquinas e padrões de fabricação da indústria.

A produção de material UBQ também contribui para a redução de emissão de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera. Ao reciclar uma tonelada, por exemplo, se evitam aproximadamente 15 toneladas de dióxido de carbono no meio ambiente. A estimativa é de que a produção das primeiras 18 mil bandejas do projeto represente uma redução de 3.713kg de dióxido de carbono.

Segundo a Quantis, líder global em avaliações de impacto ambiental, a matéria-prima criada pela empresa foi considerada o termoplástico mais favorável ao meio ambiente disponível, podendo compensar significativamente a pegada de carbono de um produto.

Pauta Comunicação