Recicla Orla promove troca de materiais recicláveis por dinheiro nesta sexta em Copacabana

Brasil

Neste mês, o Recicla Orla, projeto criado pela concessionária Orla Rio em parceria com a startup de sustentabilidade Polen, vai ampliar a instalação de pontos de entrega voluntária de materiais recicláveis (PEVs) para todos os quiosques da zona sul carioca. A nova fase do projeto conta com o apoio do iFood, que será responsável por viabilizar a expansão da iniciativa.

O pontapé desta ampliação do Recicla Orla será a instalação do primeiro ponto de coleta em Copacabana, acompanhada de uma ação de troca de resíduos por dinheiro. O objetivo é mostrar, na prática, que o material tido como lixo também tem seu valor comercial. A cada quilo de material reciclável entregue serão pagos R$ 5 para quem depositar o material (limite de 10 quilos por CPF). A ação acontecerá nesta sexta-feira (04), das 9h às 16h, no quiosque Botequim Carioca.

“O ato de sexta é uma ação simbólica para mostrar o quanto a nossa economia deixa de circular quando não é dado o devido tratamento aos resíduos que geramos. Queremos disseminar, ainda mais, a importância do descarte de materiais em locais apropriados e do trabalho de coleta e reciclagem, que beneficiam milhares de famílias e contribuem para a preservação do meio ambiente. O lixo gerado nas praias e orlas é extremamente perigoso, já que a maior parte acaba indo para os oceanos, prejudicando não só a biodiversidade marítima, como nós, que dependemos dela”, diz João Marcello Barreto, presidente da Orla Rio, concessionária que administra os quiosques entre o Leme e o Pontal.

Atualmente, existem 24 pontos de entrega voluntária nos quiosques das praias de Ipanema e Leblon, nos quais já foram coletadas mais de 150 toneladas de resíduos sólidos, evitando a emissão do equivalente a 86 toneladas de CO² no ambiente. Com a expansão do projeto, que só foi possível graças ao apoio financeiro do iFood e à parceria da Polen, todos os quiosques entre o Leme e o Mirante do Leblon funcionarão como pontos de coleta, aumentando para 56 o número de PEVs.

Após a instalação dos novos pontos de coleta e o fim da pandemia, com as praias voltando a ser frequentadas, a expectativa é recolher 200 toneladas de resíduos por mês.

“No iFood, temos a meta ambiciosa de zerar a poluição de plástico nas nossas operações de delivery até 2025. Tudo o que não conseguirmos evitar, iremos reciclar. Por isso, a parceria com o Recicla Orla é tão importante nesse processo”, comenta Gustavo Vitti, vice-presidente de Pessoas e Soluções Sustentáveis do iFood. “Estamos falando de centenas de toneladas de material reciclável e, juntos, vamos garantir a correta destinação”.

Com o Recicla Orla, todo esse material coletado nos PEVs será reciclado, retornando ao ciclo de produção. É uma revolução na maneira como os resíduos das praias e seu entorno são tratados hoje. Todo o processo de reciclagem é rastreável pela tecnologia blockchain, o que permite às empresas comprovar a realização da logística reversa e cumprir com a legislação em vigor.

Já a plataforma desenvolvida pela Polen possibilita que, tanto o cidadão que deposita seu lixo, como as empresas que adquirem créditos de logística reversa, saibam o destino dos resíduos coletados e no que se transformaram.

Guardiões da Orla
Esse segundo ano do Recicla Orla contará ainda com o reforço dos Guardiões da Orla, que farão um trabalho de sensibilização junto aos barraqueiros e às escolinhas de esportes, que têm papel fundamental na disseminação do projeto para mais frequentadores das praias.

Cada barraqueiro e escolinha localizada entre o Leme e o Mirante do Leblon ganhará uma bag do projeto para estimular a separação e o descarte adequado dos resíduos entre seus clientes e alunos, respectivamente. Periodicamente, a bag será recolhida pelos guardiões e enviada para as cooperativas de reciclagem.

“Queremos devolver o protagonismo de cidade sustentável ao Rio de Janeiro. É o município que sediou a Eco-92 e a Rio+20, por exemplo, iniciativas de sustentabilidade global, que tem, portanto, esse tema como prioridade ao longo das últimas décadas. Além disso, precisamos cuidar das praias cariocas, um dos principais ativos não só da cidade, mas do Brasil”, explica Renato Paquet, CEO e fundador da Polen.

Assessoria de Imprensa