Cresce número de brasileiros saindo do País

Destaque Paraíba
Anúncios

No ano passado, 21.701 brasileiros deixaram definitivamente o país. Desses, 35 eram paraibanos. O número no Brasil cresceu 48,26% desde 2015, quando a crise econômica começou a se tornar mais intensa. Na Paraíba, o aumento foi de 52,17%. Os números correspondem à quantidade de declarações de saída definitiva do país recebidas pela Receita Federal.
Na realidade, entretanto, os números podem ser ainda maiores, uma vez que nem todos os cidadãos que deixam o país, o fazem com a documentação legal. A falta de segurança, de emprego, instabilidade econômica e política são alguns dos fatores que levam à emigração.
Para o economista Francisco Barros, conselheiro do Conselho Regional de Economia da Paraíba (Corecon-PB), o pânico da população só agrava a situação do país. “Do ponto de vista racional, matemático, o país tem todas as condições favoráveis para sair dessa crise fortalecido, crescer. O problema é que a economia depende muito do comportamento das pessoas também”, disse, ressaltando que as pessoas não devem perder a esperança no país.
Segundo ele, a alta do dólar, a crise dos combustíveis e o ano de eleições são fatores que dificultam as previsões, mas ainda assim há perspectiva de crescimento para o próximo ano. ”A inflação está baixa, os juros também. Os empregos virão como conseqüência, mas essa reposta é um pouco mais lenta”, comentou.

A presidente da imobiliária Seletta Realty, especializada em imóveis nos Estados Unidos, Liliane Cavalcanti, contou que nos últimos dois anos muitos paraibanos têm procurado a empresa em busca de orientações e informações sobre como investir corretamente naquele país, principalmente nas cidades de Orlando e Miami.
“Orlando hoje é a cidade norte-americana que mais recebe turistas ao ano no mundo inteiro.No ano passado, foram 72 milhões de turistas, de acordo com a US Travel Association (empresa de gerenciamento do turismo na Florida)”, disse Liliane, justificando a preferência dos investidores pela cidade.
A empresária do setor imobiliário explicou que a cidade está vivendo, nos últimos seis anos, uma explosão de investimentos em infraestrutura e uma grande expansão imobiliária, com a construção de hotéis, expansão do plano viário da cidade, e principalmente na criação de grandes condomínios horizontais de casas de luxo, com foco em Vacation Homes (casas com aluguel temporário).
“A grande procura por imóveis em Orlando, por paraibanos, hoje não é somente para investimentos. A busca por moradia residencial de longa temporada tem aumentado substancialmente, inclusive pelos nossos vizinhos pernambucanos”, disse Liliane.
Em relação às despesas, elas são bem parecidas com as do Brasil. “Porém, em Orlando nós orientamos primeiro o cliente a realizar uma pré-aprovação de crédito, para, em seguida, dar continuidade na busca do imóvel desejado. Porque, diferentemente do Brasil, só são aceitas ofertas de compra com cartas de credito pré-aprovadas por algum banco americano”, esclareceu Liliane.
De acordo com Liliane, para comprar um imóvel para morar ou investir, é necessário passaporte e visto válidos, comprovantes de renda dos últimos três meses no Brasil e as duas últimas declarações do imposto de renda, entre outros documentos complementares.
“Em média a taxa de juros de bancos americanos para investidor estrangeiro fica em torno de 5,0 a 6,5% a.a, podendo ser fixa ou não, por cinco anos”, completou ela.
Bárbara Wandeley – Jornal Correio da Paraíba