CEO diz que MSC Seaview coloca indústria de cruzeiros em novo patamar no Brasil

A presença do meganavio MSC Seaview na costa brasileira se transformou em um marco que coloca a indústria de cruzeiros em um novo patamar no Brasil. A afirmação é do CEO da armadora italiana, Gianni Onorato, que está no País exclusivamente para o lançamento do Seaview, que ancorou nesta quinta-feira (06) no Porto de Santos. Na oportunidade, houve a solenidade de troca de placas, um ato simbólico quando uma embarcação atraca pela primeira vez em um porto.

Em contato com a imprensa convidada pela MSC Cruzeiros para o evento, Onorato afirmou que um dos viés a ser intensificado pela armadora será a área de luxo Yacht Club, exclusivo para os passageiros que têm maior poder aquisitivo para pagar por uma experiência mais Premium.

O Yacht Club do MSC Seaview oferece áreas privativas, com piscina e solário, assim como cabines diferenciadas e serviços como mordomo 24 horas do dia. Esse tipo de serviços são benefícios apenas para 86 cabines que abusam do luxo.

Porém, conforme pontuou o CEO da MSC, mesmo mais caras, os preços não intimidam quem quer optar por mais exclusividade, ao contrário. Há relatos de agentes de viagens que afirmaram que esses espaços não são difíceis de serem vendidos.

Onorato revelou que a MSC trabalha com um índice de ocupação de 100% e que as cabines Yacht Club, pelo menos aqui no Brasil, são as primeiras a se esgotarem. Ele chamou de ‘certeiro’ o investimento da armadora na criação de meganavios.

“Em vez de apenas alguns espaços, como no Seaview e em outros navios, teremos transatlânticos completamente voltados para este segmento de luxo. Serão como Yacht Clubs gigantes navegando, com a possibilidade de chegar a novos destinos, que grandes navios não conseguem, com um produto totalmente diferenciado”, pontuou o executivo da MSC.

Para reforçar o crescimento da armadora no Brasil, que detém uma liderança com 63% de market share no mercado, Onorato disse contar com a atuação mais qualificada dos agentes de viagens, seus principais parceiros.

Segundo ele, o Brasil é um dos mercados chave para a MSC. A estimativa da armadora é de transportar mais de 5,5 milhões de passageiros anuais até 2030. Nessa temporada, a expectativa é de transportar 2,3 milhões de passageiros, subindo para 2,8 milhões em 2019.

Além da solenidade de troca de placas em Santos, a armadora realizou evento idêntico quando da chegada do Seaview no porto do Rio de Janeiro.

Fábio Cardoso

Notícias relacionadas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *