Cachaças paraibanas entre as 250 melhores do Brasil

Paraíba

O Ranking Cúpula da Cachaça, o mais abrangente e participativo concurso de cachaças do país, em sua terceira edição, após o enorme sucesso das duas primeiras edições, em 2014 e 2016, chegou ao final de sua primeira fase em 2017. Das 250 marcas escolhidas para fazer parte do grupo seleto, 14 paraibanas de 21 tipos passaram de fase e agora disputam para ficar entre as 50 melhores. Depois disto, será o momento crucial da degustação às cegas que vai ranquear as melhores cachaças do mundo e escolher a Cachaça do Ano.
A primeira fase se destinou a formar o universo das marcas participantes do Ranking, sem a interferência de fabricantes ou de especialistas. Foi realizada uma votação online aberta a todas as pessoas interessadas em cachaça.
A cidade de areia foi a que mais produziu cachaças que entraram na lista, sendo dez da cidade.Mais de 1,1 mil rótulos receberam indicações. As cachaças passaram por um pente fino para checar se estão legalizadas junto ao Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e em circulação no mercado. A última fase da competição acontece no início de 2018.
No ano passado, das paraibanas, apenas a Serra Limpa Freijó, de Duas Estradas, ficou entre as 50 melhores, ocupando a 49ª posição. Na edição de 2014, a primeira vez que ocorreu o concurso, não houve representante do Estado na lista.
As paraibanas no ranking
 
 
Nome                                                  Produzida
Aroma da Serra Carvalho – Areia
Aroma da Serra Cristal – Areia
Aroma da Serra Umburana – Areia
Arretada – Sobrado
Bandeira Branca – Mamanguape
Cobiçada da Paraíba Umburana – Serraria
Gregório Branca – Alagoa Grande
Ipueira Umburana – Areia
Matuta Amburana – Areia
Matuta Cristal – Areia
Nobre – Sobrado
São Paulo Amburama – Cruz Espírito Santo
São Paulo Cristal – Cruz Espírito Santo
Sapequinha – Sobrado
Serra Limpa – Duas Estradas
Serra Preta – Alagoa Nova
Turmalina da Serra Carvalho – Areia
Turmalina da Serra Cristal – Areia
Turmalina da Serra Freijó – Areia
Turmalina da Serra Prata – Areia
Volúpia Freijó – Alagoa Grande
Érico Fabres – Jornal Correio da Paraíba

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *