Leilão de aeroportos pode incrementar voos e beneficiar economia da PB

Aviação

Ganhou força nas duas últimas semanas o movimento para buscar a consolidação de voos de passageiros para os aeroportos de Cajazeiras e Patos, no Sertão da Paraíba. O aceno positivo do governador João Azevêdo (PSB) para a terceirização ou gestão compartilhada dos aeródromos, foi combustível para os empresários acelerarem os projetos e buscar argumentos para negociar com o Governo do estado.

Na opinião do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Cajazeiras e diretor da Federação do Comércio da Paraíba, Alexandre Costa, o aceno do governador é entendido como “uma atitude moderna e inteligente para implantar no estado linhas aéreas regionais”. Segundo ele, além de contribuir para uma maior integração do estado, linhas aéreas regulares atuam como indutor do desenvolvimento regional atraindo novos investimentos para o Sertão.

“O empresariado sertanejo não só apoia esta iniciativa do governador, como também gostaria de participar e dar sua contribuição neste processo”, reforçou o empresário.

Para Alexandre Costa, o resultado do leilão dos aeroportos administrados pela Infraero (Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária), a ser realizado no dia 15 de março, será preponderante para uma nova fase da aviação comercial na Paraíba. Os Aeroportos de João Pessoa/Castro Pinto e de Campina Grande/João Suassuna estão no bloco do Nordeste.

Seis aeroportos do Nordeste (Aracaju, Maceió, Recife, João Pessoa, Campina Grande e Juazeiro do Norte) estarão sendo leiloados em único bloco para iniciativa privada. “Aí sim!!! Definido o ganhador deste bloco de aeroportos a conjuntura operacional dos aeródromos muda radicalmente, pois este operador, por questão de capilaridade, vai ter interesse em operar nos aeródromos do interior do estado. Acredito que, dependendo das negociações do Governo do estado e a empresa que ganhar este leilão teremos em breve as nossas tão sonhadas linhas aéreas regionais”,  pontuou Alexandre Costa.


Azul anuncia abertura de venda de passagens para Aracati, no Ceará, a partir deste segunda-feira (07)

Azul investe no interior do Nordeste

A malha aérea para o Nordeste tem apresentado um crescimento importante para a economia de várias cidades do interior. Nesta segunda-feira (07), por exemplo, a Azul Linhas Aéreas Brasileiras está abrindo a venda de passagens para Aracati (CE), tendo Recife como centro de conexões. Os bilhetes custarão R$ 103, e o voo inaugural está previsto para 26 de fevereiro.

A Azul tem investido nos aeroportos do interior do Nordeste. Somente na Bahia opera voos para nove destinos (Porto Seguro, Barreiras, Feira de Santana, Teixeira de Freitas, Paulo Afonso, Lençóis, Ilhéus, Vitória da Conquista e Valença). No Ceará, com Aracati, serão três destinos com Juazeiro do Norte e Jericoacoara. No Piauí voa para Parnaíba; Maranhão, Imperatriz; Rio Grande do Norte, Mossoró.

Na Paraíba, a Azul tem frequências para Campina Grande. No ano passado, executivos da companhia aérea estiveram em Cajazeiras para conhecer a infraestrutura do aeródromo da cidade. Até o momento não houve qualquer sinalização de negociação para início de operações de voos para lá. No Nordeste, apenas Sergipe não tem voos para cidades do interior, apenas para a capital Aracaju.

Fábio Cardoso

9 thoughts on “Leilão de aeroportos pode incrementar voos e beneficiar economia da PB

  1. Eu acredito que a Azul tenha conhecimento do grande potencial que Cajazeiras tem para ter voos comercial em seu aeroporto por se tratar de uma cidade que está na divisa de três estados Ceará: Rio Grande do Norte e Pernambuco, no raio de 100 km as cidade desse três estados mais a região de Cajazeiras, Sousa catolé do rocha devem ficar bem próximo de 1 milhão de habitantes, só para ter uma ideia a região de Cajazeiras e Sousa ultrapassa os 350 mil habitante que é quase população da cidade de Campina Grande, só essas duas regiões já justificaria ter linhas aéreas na terra do Padre Rolim.

  2. Eu não entendo porque a azul coloca vôos em Aracati um cidade que a 130 de fortaleza, e tem uma população de 67.000, não faz fronteira com nenhum estado, e deixa Cajazeiras de fora que faz fronteira com três estados e que somando a população das cidades desses estados próximo da terra do Padrão Rolim deva chegar bem próximo de hum milhão de habitantes. Vou dar um pequeno exemplo a microrregião de Cajazeiras e Sousa passa dos 340 mil habitantes, que justificaria a implantação de linhas aéreas.

  3. Se as empresas tiverem de investir em aeroportos no interior da Paraíba o de Cajazeiras é o melhor que tem, recentemente inaugurou um moderno balizamento noturno que funciona com energia solar e o mais importante sua pista foi reclassificada para receber de médio e grande porte.

  4. Há quem diga que os políticos do Ceará fazem de tudo para cajazeiras não ter linhas aéreas para prejudicar o aeroporto de Juazeiro do Norte. Eu não acredita nisso mas agora estou começando acreditar, vejam porque, entrei no site da ANAC e eles tem uma planilha em execel que consta com informações dos aeroportos do Brasil e nessa planilha tem informação de aeroporto de chão batido ou seja de piçarra, com PCM superior a 6, mesma classificação dada ao aeroporto de Cajazeiras e que gerou a polemica e que posterior foi feito songagem no aeroporto e mudaram o PCN, para 26, e bom os polícia da Paraíba e de cajazeiras ficarem de olhos bem abertos juntamente com a população de Cajazeiras e procurarem a ANAC para ela prestar esclarecimento, no ano passado a Azul deixou cajazeiras fora de uma possível rota de Cajazeiras para Recife devido o PCN 6 de baixa resistência.

  5. Esta região polarizada por cajazeiras com três estados com cidade muito próxima da terra do Padre Rolim bem como diversas cidades da própria Paraíba estão perdendo a chance de desenvolver economicamente pelo motivo do aeroporto de Cajazeiras não ter linhas aéreas, com o funcionamento do aeroporto industrias irão instalar não somente na cidade de Cajazeiras bem nas cidade próximo de Cajazeiras aquecendo a economia desta vasta região e gerar muitos empregos diretos e indiretos.

  6. Sou de São Paulo e venho pelo menos duas vezes ao mês por mês ao alto sertão e fico geralmente na cidade de Cajazeiras, e se estivesse vôos comercial em cajazeiras falicitaria muito o meu trabalho.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *