Ministros do Turismo fazem balanço e Fungetur será lançado

Brasil

O ministro do Turismo, Marx Beltrão, coordena uma reunião nesta quinta-feira (07), em Maceió (AL), que reunirá todos os ministros dos países do Mercosul, com o objetivo de prestar contas para lideranças, gestores públicos, o mercado e a sociedade em geral, para tratar de pertinentes às ações desenvolvidas em 2017. Na oportunidade, será lançado o Fungetur, uma linha de investimentos voltada para a melhoria da infraestrutura turística, fornecendo base para dinamizar a vocação turística do Brasil.
A diretoria do Festival do Turismo de João Pessoa foi convidada e deve enviar um representante para o encontro.O ministro do Turismo, Marx Beltrão, coordena uma reunião nesta quinta-feira (07), em Maceió (AL), que reunirá todos os ministros dos países do Mercosul, com o objetivo de prestar contas para lideranças, gestores públicos, o mercado e a sociedade em geral, para tratar de pertinentes às ações desenvolvidas em 2017. Na oportunidade, será lançado o Fungetur, uma linha de investimentos voltada para a melhoria da infraestrutura turística, fornecendo base para dinamizar a vocação turística do Brasil. A diretoria do Festival do Turismo de João Pessoa foi convidada e deve enviar um representante para o encontro.
O Fungetur é uma linha de crédito com recursos do Fundo Geral do Turismo, que visa à ampliação, modernização e reforma de empreendimentos turísticos.  Por meio dele, é destinado a empresa de qualquer porte, com faturamentos há mais de 36 meses consecutivos e que atuem no setor de turismo (hotéis, pousadas, outros meios de hospedagem de turismo, centros de convenção, parques temáticos e outros locais destinados a feiras, exposições e assemelhados).
Condições Operacionais
Prazos: Carência: no mínimo 90 dias e no máximo 60 meses.
Financiamento: até 240 meses.
Valores: Mínimo: R$ 400 mil
Máximo: R$ 10 milhões por grupo econômico
Encargos: Taxa de juros: 6,9% a.a. para contratos com prazo de até 12 anos;
Os prazos de carência e o de amortização são definidos na análise de viabilidade do projeto, levando-se em conta os retornos prospectivos esperados, bem como o respeito aos prazos máximos atribuídos para o produto. Os selos de sustentabilidade ajudam a definir qual o prazo a ser concedido, geralmente o Projeto é apresentado considerando 120 meses como prazo total e 24 meses de carência, após a conclusão das obras e a obtenção dos selos, a empresa requere a extensão dos prazos totais e de carência até o limite concedido.
A Caixa financia até 80% do valor do investimento fixo total do projeto, para isso é observado à capacidade de pagamento do cliente, definida pela análise cadastral. Em relação a composição dos 20% restantes de investimento da empresa, pode ser considerado o custo do terreno e outros investimentos associados.
Assessoria de Imprensa

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.