No Dia do Oceano, programação em Búzios (RN) apresenta a praia como berçário de tartarugas-de-pente

Destaque Eventos

O Dia Mundial dos Oceanos é comemorado em 8 de junho, este ano com o tema “Juntos podemos proteger e renovar o nosso oceano”. O objetivo desta data, criada durante a Rio 92, é relembrar a importância dos oceanos para o equilíbrio da vida no planeta Terra. A equipe do Projeto Ponta de Pirangi/Oceânica convida toda a sociedade para vivenciar juntos a praia de Búzios, que hoje é considerada um rico berçário de tartarugas-de-pente do RN, espécie criticamente ameaçada de extinção. A programação acontece durante a tarde, entre 14h e 17h, com exposições artística e fotográfica, teatro, coleta de resíduos, roda de conversa, abraço à praia e possível abertura de ninho de tartarugas.

O lançamento da exposição “Um Berçário nas Areias de Búzios (RN)” apresenta fotos inéditas do monitoramento de tartarugas feito no Projeto Ponta de Pirangi, realizado pela Oceânica com patrocínio Petrobras através do programa Petrobras socioambiental e governo federal. Além das imagens, a exposição traz um conhecimento valoroso e nos convida a pensar criticamente sobre como estamos cuidando do berçário das tartarugas.

De acordo com Lígia Rocha, coordenadora do Ponta de Pirangi, a exposição foi pensada para que a Praia de Búzios seja reconhecida, principalmente pelos potiguares, como uma praia rica na sua biodiversidade e não só como uma praia de passagem para outras ou que oferece risco para o banho. “Precisamos voltar os olhos para Búzios, continuar o monitoramento das tartarugas e ordenamento dessa praia. Temos cerca de 14.000 tartarugas-de-pente nascendo por temporada anual. A cada mil nascidos, estima-se que somente 1 a 2 filhotes sobrevivem até a fase adulta”, alerta.  

A equipe Ponta de Pirangi da Oceânica/ monitora as tartarugas marinhas desde a temporada reprodutiva 2017/18. Jéssica Paiva, coordenadora do Monitoramento de Tartarugas, explica que muitas vezes o lixo na praia fica soterrado junto ao ninho impossibilitando o nascimento, prejudicando o desenvolvimento embrionário ou mesmo se tornando um obstáculo que dificulta ou impede a chegada dos filhotes ao mar.

“Além disso, a ingestão do lixo tem sido constante causa de morte de tartarugas-verdes (Chelonia mydas) que se alimentam naquela região. Outro desafio é o trânsito de veículos na praia, que forma valas de profundidade significativas para os filhotes, que tentam vencer esse obstáculo para chegar ao mar e por vezes morrem expostos ao sol. A iluminação noturna também é um problema para os filhotes de tartarugas marinhas na Praia de Búzios. O comportamento de orientação em direção ao mar, por sinais visuais da luz refletida, é confundido devido à variedade e quantidade de iluminações artificiais na praia. Isto resulta na desorientação dos filhotes, que perdidos, entram em residências, em barracas de praia, se prendem na vegetação da praia, se expõem ao sol (que leva à morte por desidratação) e à predação, e principalmente, andam pela pista local, onde comumente são atropelados”.

A programação do Dia do Oceano conta também com a encenação divertida de trechos da peça “Sal, menino mar”, do Grupo Facetas, inspirada no livro e cd “Mar, Doce Lar”, da Editora Oceânica, também publicado pelo Projeto Ponta de Pirangi. Faremos uma roda de conversa sobre as tartarugas marinhas em Búzios (RN) e riscos enfrentados. Faremos um simbólico abraço a praia de Búzios e aos Oceanos, o qual será registrado por um drone e, para aqueles que quiserem colaborar, teremos um mini mutirão de limpeza da praia. Por fim, há também a possibilidade de soltura de filhotes de tartaruga-de-pente, já que um ninho está previsto para eclodir nessa data. Mas como o desenvolvimento dos filhotes depende de fatores ambientais adequados, esta atividade só acontecerá se os filhotinhos realmente estiverem prontos para sair do ninho nesta data.

Assessoria de Imprensa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.