Projeto quer declarar Porto do Capim como Patrimônio Histórico da Paraíba

Cotidiano Paraíba

A Comissão de Constituição, Justiça e Redação, da Assembleia Legislativa da Paraíba (ALPB), tratará, na próxima terça-feira (11), o Projeto de Lei 319/2019, de autoria da deputada estadual Cida Ramos (PSB), que declara a comunidade do entorno do Porto do Capim como Patrimônio Histórico, Cultural e Imaterial do Estado da Paraíba.

O projeto que foi apresentado nesta quinta-feira (6), foi adiado para ser votado na próxima semana, a partir do pedido do deputado estadual Ricardo Barbosa (PSB), que solicitou vistas ao documento.

O projeto fortalece o valor histórico, artístico, cultural, ecológico e paisagístico, como forma de resgatar e preservar a memória e a identidade cultural da localidade. A comunidade que reside há mais de 70 anos no entorno do Porto do Capim, formada por moradores da Vila Nassau, Praça 15 de Novembro, Frei Vital e do próprio Porto do Capim, cuidou de manter viva a memória e a preservação do meio ambiente daquela região. Segundo o Censo do IBGE de 2010, a área composta no Porto do Capim contém 185 domicílios e 664 moradores.

A parlamentar destaca que o Porto do Capim é berço histórico da fundação da Paraíba e precisa ser preservado.

“O Porto do Capim contém um rico patrimônio histórico, cultural e ambiental que se completa com a comunidade que começou a habitação naquele lugar, a partir da década de 1940, constituída por ex-trabalhadores do Porto, pescadores, marisqueiras e operários de fábricas de cimento e curtume. Essa comunidade apresenta características tradicionais, tendo em vista que desde o seu surgimento até os dias atuais, as famílias foram recriando laços de parentescos e mantendo formas de interação com o rio. Precisamos respeitar as famílias ribeirinhas que estão lá há mais de 70 anos”, ressaltou.

Moradora do Porto do Capim há 32 anos, Adriana Lima, disse que toda a comunidade espera a aprovação do projeto de Lei. “Precisamos que esse projeto seja aprovado, pois ter o Porto do Capim reconhecido como patrimônio fortalecerá a nossa identidade cultural. Temos certeza que a aprovação é o caminho para manter viva a nossa história e raízes”, declarou.

A Índia Potira Tabajara, moradora do Porto do Capim há 30 anos, reforçou que a aprovação do projeto é, antes de tudo, respeitar a população ribeirinha e suas tradições. “Cheguei ao porto com 19 anos. Sou índia e venho de um povo que descobriu esse país, e a aprovação desse projeto nos tira da invisibilidade, resgatando uma rica história”, pontuou.

Assessoria de Imprensa

Facebook Notice for EU! You need to login to view and post FB Comments!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.