Lista de brasileiros que vão embarcar de volta de Cuzco para São Paulo está separando famílias

Coronavirus Destaque Paraíba

A divulgação da lista de brasileiros que estarão embarcando em um voo da Latam, do Aeroporto de Cuzco para Guarulhos (SP), nesta terça-feira (24), provocou um misto de euforia e verdadeiros dramas. Natália Arruda, de Brasília, afirmou que o nome de uma pessoa da família dela não está na lista, caso idêntico de dois casais de São Paulo. Na lista só está ou da mulher ou do homem, não dos dois. “Não podemos deixar ela aqui”, afirmou Natália. A mesma decisão foi tomada pelos casais. “Não viajo sem o meu marido”, disse Amabile dos Reis Oliveira.

Porém o drama maior é o caso do paulista de Campinas, Marcos Evangelista. Em um depoimento gravado pelo jornalista paraibano Gilberto Lopes, que está embarcando com a esposa, Daci Barreto, para João Pessoa, Evangelista denuncia que o filho dele – que tem problemas no ouvido – não está na lista e, claro, não vai embarcar também.

No desabafo, ele denuncia a comercialização dos chamados voos humanitários e afirma que o Governo Federal pouca ingerência tem no processo de repatriação dos brasileiros no Peru, lavando as mãos e deixando por conta das companhias aéreas, que administram o problema dos brasileiros de forma meramente comercial.

Os brasileiros que vão embarcar estão numa fila na porta do Aeroporto de Cuzco desde às 6h (8h no Brasil). Até agora, não há qualquer movimentação dos funcionários da Latam, nem mesmo para que tenham acesso ao interior do aeroporto. Pelo contrário, os policiais peruanos informaram que ninguém pode sair da fila para nada. Devem continuar nos lugares onde estão à espera da liberação de embarque.

O jornalista Pablo, natural de Campina Grande (PB) e que reside em Cuzco há alguns anos, tem sido uma peça importante no diálogo entre os brasileiros e as autoridades peruanas e brasileiras para tentar a repatriação de todos que estão retidos em diversas cidades peruanas. Pablo fez um vídeo no acesso ao aeroporto, que confirma que todos estão numa imensa fila sem qualquer assistência, nem da companhia aérea, muito menos do governo brasileiro. Apesar de todo o drama, somente a confirmação de que estarão retornando ao Brasil está deixando o clima menos tenso e até mesmo muitos estão muito felizes.

Na fila que está formada no entorno do Aeroporto de Cuzco, nem todos têm os nomes na lista. Essas pessoas dizem que vão arriscar embarcar, já que, no último voo que decolou do Peru para o Brasil, no sábado passado, surgiram algumas vagas de brasileiros que não conseguiram chegar a tempo de embarcar. Por áudio, uma dessas brasileiras que já está no Rio de Janeiro, confirmou essa possibilidade.

Fábio Cardoso – Foto: Gilberto Lopes